Hoje vi(vi) um filme: 2012 e o Cinema Português

terça-feira, 17 de abril de 2012

2012 e o Cinema Português

Desde o inicio do ano, já estrearam nos cinemas dez produções nacionais: Paixão, O Que Há de Novo No Amor?, Em Câmara Lenta, O Dia Mais Feliz da Tua Vida, Florbela, Swans, É Na Terra Não É Na Lua, A Vingança de Uma Mulher, Tabu e Linha Vermelha. Esta Quinta-feira é a vez de Assim Assim, e nas próximas semanas chegam mais: A Teia de Gelo, Rafa e O Cônsul de Bordéus.

Destes vi muito menos do que desejaria, mas as críticas dizem que há cada vez mais qualidade no nosso cinema, claro, com algumas excepções. Dois dos já estreados já havia visto no IndieLisboa 2011: O Que Há de Novo no Amor?, já fora das salas e cuja minha crítica "Nada de Novo no Amor" está no Espalha-Factos, e Swans, que se revelou, a meu ver, um filme vazio de respostas ou explicações para comportamentos e acontecimentos por vezes mórbidos e de muito mau gosto.

Hoje remediei parte da minha falha e assisti a mais duas produções nacionais: Tabu e A Teia de Gelo (visto em visionamento de imprensa, estreia nos cinemas a 3 de Maio). Brevemente publicarei por aqui críticas a ambos. Aqui ficam os trailers e a recomendação para assistirem a Tabu, antes que saia das salas, um pouco por todo o país.

Tabu
Realizado por Miguel Gomes e com um elenco de renome, Tabu traz-nos algo de diferente e de muito bom ao cinema português. As histórias de Pilar, Santa, Aurora Gianluca Ventura, altruísmo, amores e desamores, tudo contado de forma singular.

A Teia de Gelo
Nicolau Breyner volta à realização com A Teia de Gelo, um filme que terá duas versões, uma em português, outra em inglês. Reúne um elenco de caras bem conhecidas do cinema e da televisão e promete trazer muito suspense ao cinema português. Com um argumento não muito forte mas com alguns bons momentos, e dotado de grande qualidade técnica, este filme, que vai de São Tomé e Príncipe à Serra da Estrela, poderá ser uma boa opção para ver no próximo mês de Maio.

2 comentários:

Sam disse...

E agora percebo que, de entre os estreados em 2012, apenas vi um (É Na Terra É Na Lua). :)

É um facto que a qualidade do cinema português, duma forma geral, está a crescer, mas as políticas de distribuição não acompanham esse incremento...

Cumps cinéfilos :)

Inês Moreira Santos disse...

Sim, é esse o grande problema e é fácil verificar quanto tempo ficam em sala a maioria dos filmes portugueses.

Obrigada pelo comentário, Sam.
Cumprimentos cinéfilos.