Hoje vi(vi) um filme: Woody Allen: Os meus 10

sexta-feira, 8 de junho de 2012

Woody Allen: Os meus 10

A poucos meses de mais um filme de Woody Allen ir para os cinemas, e como sua grande fã, resolvi fazer uma selecção dos que são, para mim, os seus dez melhores filmes. O trabalho é verdadeiramente complicado e é quase impossível destacar dez de uma filmografia tão vasta (da qual ainda não vi alguns títulos), de um cineasta que desde o início da sua actividade, em 1966, nos tem presenteado quase com um filme por ano (facto que se verifica desde 1982, chegando, a contar com dois filme no mesmo ano em 1987 e 1994). Com 76 anos, Woody Allen continua imparável.

Aqui ficam as minhas escolhas.

10. ZELIG (1983)
A história de Zelig é-nos apresentada neste "falso" documentário que nos faz rir às gargalhadas com a doença do protagonista. De transformação em transformação vemos bem até onde vai a imaginação de Woody Allen e, mais ainda, a sua versatilidade.

9. THE PURPLE ROSE OF CAIRO - A Rosa Púrpura do Cairo (1985)
Woody Allen leva-nos ao cinema e, neste caso, entramos, literalmente, dentro do ecrã. A paixão pelo cinema e pela magia está intrinsecamente presente em A Rosa Púrpura do Cairo. O filme a cores deixa-nos entrar num outro filme, a preto e branco. Mia Farrow está encantadora como protagonista.



8. EVERYONE SAYS I LOVE YOU Toda a Gente Diz Que Te Amo (1996)

Mais um típico filme de amores e desamores à Woody Allen. Nem todos gostam de Toda a Gente Diz que te Amo, mas, a mim, o filme diz-me algo em especial e coloco-o entre os que mais gosto. Um elenco recheado de nomes bem conhecidos, com boas prestações, e o romance tão característico de Allen, que nos consegue fazer rir e chorar.


7. HANNAH AND HER SISTERS - Ana e as Suas Irmãs (1986)
As alegrias e tristezas de Hannah e das suas irmãs Lee e Holly. O drama de uma família, maridos, ex-maridos, pai e mãe... os problemas de todos e de cada um contados com mais ou menos humor. Hannah e as suas Irmãs é um dos grandes filmes de Woody Allen.

6. MANHATTAN (1979)
A paixão de um quarentão por uma rapariga de liceu, com tudo o que isso acarreta. Manhattan traz-nos mais uma das "difíceis" histórias de amor de Woody Allen, muito bem contada mas que perde um pouco o brilho que existe em Annie Hall. Ainda assim, um dos melhores filmes do cineasta.

5. SLEEPER - O Herói do Ano 2000 (1973)
Delirante é talvez uma das melhores palavras para descrever Sleeper - a história do homem que esteve congelado 200 anos e acorda no ano de 2073, num mundo futurista completamente diferente. Woody Allen veste a pele do protagonista que irá passar pelas situações mais delirantes. A imaginação do realizador não tem limites e este é um dos filmes que melhor o prova.

4. MIDNIGHT IN PARIS - Meia-noite em Paris (2011)
Woody Allen regressou recentemente à grande forma com Meia-noite em Paris. A cidade luz e do amor apaixona não só o protagonista Gil, como todos os que virem este filme. A magia está presente do início ao fim, com uma série de surpresas pelo meio, onde, juntamente com a personagem de Owen Wilson, somos transportados para uma Paris dos anos 20. A nostalgia dos tempos passados e a vontade de viver sempre em tempos que não o nosso fazem de Meia-noite em Paris uma belíssima surpresa. Faz-nos acreditar que, quando também nós estivermos em Paris à meia-noite, seremos levados por uma carruagem directamente para a nossa época preferida da História e, ali, seremos felizes... enquanto durar.

3. VICKY CRISTINA BARCELONA (2008)
Poucos lhe dão o valor que, na minha opinião, merece. Vicky Cristina Barcelona é, para mim, um dos melhores filmes de sempre de Allen. Apaixonante, louco e com personagens e interpretações muito boas. Contagiou-me desde o primeiro instante. A cidade propicia ainda mais o ambiente que envolve o filme, a escolha dos actores foi certeira, destacando Penélope Cruz e Javier Bardem, e a química entre os quatro personagens principais é fantástica. O romance está no ponto, as surpresas também.

2. RADIO DAYS - Os Dias da Rádio (1987)
Uma das minhas épocas preferidas - a da rádio - retratada através de uma família. O narrador, o elemento mais jovem, é quem nos apresenta todos os seus familiares e nos relata as suas histórias, sempre em torno do meio de comunicação que marcou uma era. O nostálgico Os Dias da Rádio deixa-nos encantados com a experiência única que foi viver nesta época.

1. ANNIE HALL (1977)
É inevitável que Annie Hall figure no número um do meu top 10. Alvy Singer é provavelmente a personagem mais mítica de Woody Allen, os diálogos são fabulosos e Annie Hall é, sem dúvida, uma mulher que vale a pena conhecer. A conturbada relação entre os dois dá-nos a conhecer o melhor de Allen.

4 comentários:

Antestreia disse...

Da tua lista só tirava o Vicky Cristina. Acrescentava Crimes and Misdemeanours (meu favorito), Broadway Danny Rose, Match Point e Mighty Aphrodite. Se te falta algum deles vê depressa.

Dois que sou dos poucos a adorar são Manhattan Murder Mystery e Whatever Works, mas como digo o mesmo do Everyone Says I Love You e esse está na tua lista, experimenta.

O Top 10 já deve ir nos 20 títulos, mas o que interessa é ver filmes não é?

Inês Moreira Santos disse...

Crimes and Misdemeanours e Mighty Aphrodite estão mesmo na lista para ver brevemente. :)
Do Manhattan Murder Mystery gostei bastante, portanto compreendo perfeitamente estar entre as tuas preferências. :)
No que toca a Woody Allen é mesmo difícil eleger um Top, seja ele de que tamanho for. Mas quantos mais, melhor.

Obrigada pelo comentário,
Cumprimentos cinéfilos.

Sam disse...

Eis o género de top que me é, deveras, complicado elaborar...

No meu top 10 Woody Allen, entraria INTIMIDADE, CRIMES E ESCAPADELAS e BALAS SOBRE A BROADWAY :)

Gostei das referências ao SLEEPER e ao ZELIG, também os considero geniais! :D

Óptimo post!

Cumps cinéfilos :*

Inês Moreira Santos disse...

É mesmo complicado. :) Sleeper e Zelig são muito muito bons.

Obrigada pelo comentário, Sam.
Cumprimentos cinéfilos :*