Hoje vi(vi) um filme: Parabéns, Ryan Gosling!

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Parabéns, Ryan Gosling!

Ryan Gosling tem uma carreira ainda curta, mas já provou o grande talento que possui. No dia em que um dos melhores jovens actores da actualidade completa 32 anos, nada melhor do que relembrar alguns dos seus melhores papéis. 

Aqui vos deixo, então, um top 5(+1) daquelas que são, na minha opinião, as suas melhores prestações.

6. O Diário da Nossa Paixão (The Notebook), 2004, como Noah


O destaque a esta interpretação funciona como uma espécie de menção honrosa, já que foi com este filme que o actor canadiano conseguiu realmente revelar-se e ficar na memória de todos. Acima de tudo, assistimos aqui a uma interpretação apaixonada e apaixonante, de um Noah rebelde e lutador.

5. Nos Idos de Março (The Ides of March), 2011, como Stephen Meyers


Uma lição de política apresentada através da personagem interpretada por Ryan Gosling, que passa da ingenuidade inicial a uma frieza e perversidade inquietantes. Uma das suas grandes interpretações de 2011.

4. Lars e o Verdadeiro Amor (Lars and the Real Girl), 2007, como Lars Lindstrom


O homem que se apaixonada por uma boneca insuflável é Lars, a quem Gosling veste a pele. Tímido, inseguro e verdadeiramente crente na paixão que diz nutrir pela sua companheira inanimada, Bianca. A estranheza inicial transforma-se em ternura e compreensão por parte de quem assiste.

3. Half Nelson - Encurralados (Half Nelson), 2006, como Dan Dunne


Um registo pesado, onde o actor encarna um professor viciado em cocaína, que desenvolve amizade com uma das suas alunas, que cedo descobre o seu segredo. Num ambiente problemático e com uma personagem exigente, Gosling volta a mostrar o seu valor. 

2. Blue Valentine - Só Tu e Eu (Blue Valentine), 2010, como Dean


Uma interpretação emotiva e onde se sente a total entrega do actor à personagem que, juntamente com a também fantástica Michelle Williams, resulta num dos pares mais credíveis dos últimos tempos, num filme singular e inquietante. Em todos os momentos, sente-se o realismo e o amor sofrido de Dean e Cindy.

1.  Drive - Risco Duplo (Drive), 2011, como Driver


No meio de diversas personagens, foi com o anti-herói sem nome, apenas conhecido como Driver, que Ryan Gosling teve uma das melhores interpretações da sua (ainda curta) carreira. Romântico, mas frio e capaz de tudo para proteger quem ama, Driver é de poucas falas e muita acção.

Trabalho não tem faltado a Ryan Gosling e estão para breve mais três filmes: Força Anti-Crime, Place Beyond the Pines e Only God Forgives. Imparável, só teremos de aguardar por mais interpretações de peso do jovem actor canadiano.


Parabéns, Ryan Gosling!

2 comentários:

Sam disse...

É um actor cuja atitude e carisma recuperam uma atitude clássica de representação aliada ao cinema mais moderno.

2011 foi dominado por ele, e 2013 (pelos títulos que destacas) parece ser outro ano em grande.

Óptimo post!

Cumps cinéfilos :*

Inês Moreira Santos disse...

Obrigada, Sam.
E sim, esperemos que 2013 seja mais um ano em grande para ele e para nós, com bom cinema e boas interpretações. :)

Cumprimentos cinéfilos :*