sábado, 16 de março de 2013

MONSTRA'13: Le Tableau

*8.5/10*

Ao nono dia do Festival de Animação de Lisboa - MONSTRA, os filmes continuam em força. Da Competição Internacional, ficámos hoje a conhecer a longa-metragem Le Tableau, uma fabulosa surpresa. O filme repete este Sábado, às 17h30, no Cinema City Alvalade.

Jean-François Laguionie é um veterano no cinema de animação francês e, desta vez, traz-nos Le Tableau (O Quadro), que junta a animação às cores e à pintura, bem como a uma série de reflexões que nos são discretamente propostas. 

Um pintor deixa um quadro inacabado mas a sua criação ganha vida própria. Um castelo, jardins e uma floresta ameaçadora são o lar de três categorias diferentes de figuras: os todos-pintados, os inacabados e os esboços. Os primeiros julgam-se superiores, e expulsam todos os outros do castelo, fazendo dos esboços seus escravos. Mas no meio desta hierarquia, Ramo, um jovem todo-pintado namora uma inacabada e defende a abolição das diferenças. Por outro lado, a inacabada Lola quer encontrar o pintor para que o quadro seja terminado e haja harmonia entre todos. Ramo e Lola parte então, juntamente com o esboço Plume, em busca do seu criador. Nesta perigosa e surpreendente jornada, as perguntas vão se multiplicando, assim como as aventuras. 

O argumento é original e inesperado: os quadros ganham vida, e as diferenças sociais estão em jogo. Ao mesmo tempo, reflectimos sobre o que motiva um pintor a abandonar a sua obra e quais as motivações para pintar um quadro. Através das descobertas dos protagonistas, temos acesso a uma série de interessantes detalhes que nos permitem ir mais além. Ao mesmo tempo, é inesperada a passagem de quadro para quadro que vai tendo lugar e todas as aventuras que se sucedem.

A construção é brilhante, e faz de Le Tableau um filme profundo, forte e singular. A violência que a hierarquia estabelecida pelos todos-pintados exerce consegue ser incómoda, mas a coragem e persistência de Lola deixa a plateia encantada, até à última cena.


A animação é simples e aproxima-se muito à pintura, como seria necessário. A cor abunda e poderemos até desfrutar de momentos onde animação e imagem real se unem, numa junção encantadora.

Le Tableau será, certamente, um dos favoritos à vitória do prémio da Competição Internacional, por toda a originalidade e mensagens que transmite. Um filme que dirá muito tanto aos mais pequenos como aos adultos, numa mistura de temáticas fortes e doces.

2 comentários:

Rafael Santos disse...

Desconhecia. Agora deixaste-me curioso para este em especial :)

Cumprimentos,
Rafael Santos
Memento mori

Inês Moreira Santos disse...

Eu gostei mesmo muito. :) Se o conseguires ver, acho que vais gostar. :)

Cumprimentos cinéfilos.