Hoje vi(vi) um filme: FEST'in'14: Uma História de Amor e Fúria / Rio 2096: A Story of Love and Fury (2013)

terça-feira, 8 de abril de 2014

FEST'in'14: Uma História de Amor e Fúria / Rio 2096: A Story of Love and Fury (2013)


*7/10*

A animação brasileira Uma História de Amor e Fúria foi um dos destaques da programação do FESTin'14 no passado Domingo, dia 6 de Abril. 

A longa-metragem de Luiz Bolognesi acompanha a História do Brasil, ao mesmo tempo que retrata o amor entre um herói imortal e Janaína, a mulher por quem é apaixonado há 600 anos. São quatro as fases da história do Brasil em destaque: a colonização, a escravatura, o Regime Militar e o futuro, em 2096, quando haverá guerra pela água. 


Os nomes de Selton Mello, Camila Pitanga e Rodrigo Santoro nas vozes da dobragem de Uma História de Amor e Fúria são desde logo um bom motivo para ver o filme. Aliada a esse pormenor, a história é forte e desafiadora e o resultado é interessante.

A História do Brasil é-nos apresentada de forma original, e em jeito de crítica social, com um tom provocatório ou de alerta. Um retrato cheio de força - e de fúria - de um povo que, apesar de todas as dificuldades, nunca baixa os braços e vai à luta. À componente histórica, Bolognesi adiciona uma visão futurista muito negativa e depressiva, em jeito de aviso, para que se possam evitar males maiores no futuro.

É feita uma forte crítica à brutalidade da colonização portuguesa, relata-se a revolta da Balaiada em Caxias, revisita-se a ditadura militar - a tortura, as perseguições e as mortes -, e mesmo a realidade das favelas - cuidadosamente desenhadas, ao detalhe - até chegarmos à distopia futura. Muitas são as guerras e batalhas que o nosso protagonista vive ao longo de 600 anos, sempre acompanhado do mesmo grande amor, que parece não querer vingar.


Apesar da originalidade e da forte componente histórica que carrega em si, Uma História de Amor e Fúria não é tão empolgante e eficaz como se poderia esperar, talvez devido à constante e fantástica "reencarnação" do casal protagonista.

A animação é simples, repleta de cores quentes (que começam a tornar-se gradualmente mais escuras e frias, à medida que o presente e futuro se aproximam), e não esconde a tragédia, a brutalidade ou o sangue. Contudo, não se distingue especialmente no mundo da animação, atingindo, todavia, o seu melhor na idealização da sociedade futurista distópica.


Uma História de Amor e Fúria é essencialmente uma curiosa e frontal história de amor que percorre - e conta - a História do Brasil, concretizada de forma muito original.

Sem comentários: