Hoje vi(vi) um filme: IndieLisboa'15: From Caligari to Hitler: German Cinema in the Age of the Masses

quarta-feira, 29 de abril de 2015

IndieLisboa'15: From Caligari to Hitler: German Cinema in the Age of the Masses

*7/10*

A Cinemateca Portuguesa recebeu esta Segunda-feira o filme From Caligari to Hitler: German Cinema in the Age of the Masses (Von Caligari zu Hitler: Das deutsche Kino im Zeitalter der Massen) no âmbito da secção Director's Cut do IndieLisboa. O realizador e crítico de cinema Rüdiger Suchsland esteve presente na sessão para apresentar o seu filme e responder a questões do público.


Partindo do ensaio de Siegfried Kracauer sobre o cinema alemão das décadas de 1920 e 1930 que relacionava o expressionismo alemão com os medos escondidos da sociedade, Suchsland desenvolve um percurso que junta a liberdade criativa da indústria cinematográfica alemã da República de Weimar com os perigos que espreitavam em redor da sua sociedade democrática.

Na época das massas, depois da Primeira Guerra, tudo mudou e os filmes alemães ganharam um fôlego renovado, com o expressionismo a abrir as hostes, retratando sonâmbulos ou seres demoníacos. From Caligari to Hitler: German Cinema in the Age of the Masses vê nesses filmes e nos que se lhes seguiram algo escondido no subconsciente que avisa que o nazismo está para chegar à Alemanha.

A explicação é-nos apresentada recorrendo a numerosos filmes da época, uns inevitavelmente famosos, outros mais desconhecidos, de realizadores como Fritz Lang, F.W. Murnau, G.W. Pabst, Joseph von Sternberg, Billy Wilder ou Ernst Lubitsch, e relembrando igualmente actrizes como Marlene DietrichLouise Brooks, entre outros nomes que marcaram aqueles anos.

A defesa desta pertinente - mas não original - ideia, de que, até à chegada de Hitler ao poder, os filmes alemães são esta premonição do que se seguiria no país, apoia-se firmemente em diversos testemunhos de historiadores e críticos de cinema e em explicações do narrador que justificam a teoria. A acompanhar, estão então os excertos de muitos clássicos, relembrando realizadores, actores e actrizes, e convidando a redescobrir estes anos gloriosos do cinema alemão.

From Caligari to Hitler: German Cinema in the Age of the Masses apresenta-nos um trabalho muito completo, bem justificado, que apenas poderá pecar pela duração, um pouco longa.

Sem comentários: