Hoje vi(vi) um filme: Cinemateca comemora 20 anos de ANIM

quarta-feira, 5 de outubro de 2016

Cinemateca comemora 20 anos de ANIM

A Cinemateca Portuguesa comemora esta Quinta-feira, dia 6 de Outubro, os 20 anos do ANIM - Arquivo Nacional das Imagens em Movimento. A festa, contudo, não se limita ao dia do aniversário, mas estende-se pelos meses seguintes com os mais variados eventos.


Logo no próximo dia 6 de Outubro haverá uma Jornada Comemorativa do 20.º aniversário do ANIM, no Centro de Conservação na Quinta da Cerca. Durante a manhã, será recebida uma escola de Bucelas, com direito a uma visita guiada a todo o centro técnico, projecção e ateliers. À tarde, é a vez de toda a comunidade cinematográfica, todos os depositantes, investigadores, e outras instituições e parceiros a visitarem o ANIM, onde todos os sectores técnicos estarão abertos aos convidados para que possam tomar contacto com as tarefas e funções de cada um deles (zona de cofres climatizados, sector de identificação e revisão, laboratórios, colecções museográficas).

Numa parceria da Cinemateca com a RTP, serão exibidos na RTP Memória três clássicos do cinema português, restaurados no laboratório do ANIM e dos quais foram recentemente produzidas novas cópias digitais: A Canção de Lisboa, de José Cottinelli Telmo, O Costa do Castelo, de Arthur Duarte, e João Ratão, de Jorge Brum do Canto. Os filmes serão exibidos no próximo fim-de-semana, nos dias 8 e 9 de Outubro. Dentro desta parceria está ainda a exibição de documentários produzidos para a RTP, com imagens cedidas pela Cinemateca.

Durante os meses de Outubro e Novembro, as comemorações continuam com dois grandes ciclos: O Trabalho dos Arquivos (restauros, tiragens especiais, o lugar do analógico e o lugar do digital) e A Criação com os Arquivos (o património cinematográfico português em novas produções que utilizam material de arquivo). No primeiro ciclo, a Sala M. Félix Ribeiro recebe dez grandes filmes que foram objecto de trabalhos especiais de arquivo nos últimos anos. Tristana, de Luis Buñuel, e O Sétimo Selo, de Ingmar Bergman, são dois dos filmes a exibir. No segundo, a Sala Luís de Pina irá apresentar novas produções com base relevante de material do arquivo da Cinemateca Portuguesa. Serão exibidos filmes contemporâneos pensados de raiz a partir dessa relação e programas televisivos
(ou episódios de séries televisivas) cuja estrutura assenta no diálogo entre o discurso presente, o exercício da memória e a matéria de arquivo. 

O dia 17 de Outubro será marcado pelo lançamento da edição em DVD Margot Dias: Filmes Etnográficos (1958-1961). Este é o segundo título da nova série de edições da Cinemateca em DVD. O volume dedicado à obra filmada de Margot Dias marca a abertura de uma colecção de imagens etnográficas lançada em colaboração com o Museu Nacional de Etnologia. A edição é lançada numa sessão especial na Cinemateca, a 17 de Outubro, às 19h00, com entrada livre mediante o levantamento de ingressos na bilheteira. O evento contará com a presença e intervenções de Paulo Ferreira da Costa, Joaquim Pais de Brito, Catarina Alves Costa, Paula Silva e José Manuel Costa.

Haverá ainda tempo para visitas públicas ao ANIM. O Centro Técnico de Conservação da Cinemateca irá receber os visitantes uma vez por mês, numa visita guiada, que inclui os sectores técnicos e colecções (o agendamento será divulgado nos programas de Novembro e Dezembro). A Cinemateca disponibilizará um transporte a sair e a chegar ao Edifício-Sede, na Rua Barata Salgueiro.

Em data a anunciar, terá lugar um curso ad-hoc teórico-prático realizado no ANIM com duração de uma semana sobre conservação e restauro analógico e serão lançados em DVD dois filmes de Rino Lupo - Os Lobos e Mulheres da Beira -, acompanhados ao piano por Nicholas McNair. A Incógnita Digital, O Lugar do Analógico e Projecto de Digitalização do Cinema Português serão os temas dos três colóquios a realizar na Sala Félix Ribeiro, ainda sem data agendada. Também nos próximos meses, terá lugar uma exposição temática sobre os 20 anos do ANIM.


Foi a 6 de Outubro de 1996 que se abriram as portas do ANIM, em Bucelas. É ali que, desde então, está o centro de trabalho onde se exerce toda a salvaguarda e conservação do património cinematográfico. Cabe ao ANIM prospectar, recolher, conservar, preservar, restaurar, catalogar e facultar o acesso a filmes ou outras imagens em movimento em qualquer suporte e de qualquer época,
formato, género, regime de produção ou proveniência. Cabe-lhe igualmente conservar e facultar o acesso ao património museográfico relacionado com a produção e circulação do cinema e de todas as imagens em movimento (aparelhos, cenários e adereços). O ANIM promove estudos filmográficos sobre a produção nacional e desenvolve investigação e formação especializadas no âmbito da conservação do cinema e de todas as imagens em movimento. É através dele que a Cinemateca participa em acções externas a nível nacional e internacional nas áreas de conservação e restauro, com uma participação especial do seu laboratório de restauro.

Mais informações sobre a Cinemateca e o ANIM podem ser encontradas aqui.

Sem comentários: