Hoje vi(vi) um filme: Já Vi(vi) este Filme, por Inês Moreira Santos

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Já Vi(vi) este Filme, por Inês Moreira Santos

A iniciativa do Hoje Vi(vi) um Filme, Já Vi(vi) este Filme, chegou ao fim. Aos que participaram, obrigada. Obrigada por nos terem deixado entrar numa parte da vossa vida, por partilharem com o mundo momentos um pouco mais pessoais que os textos que escrevem nos vossos espaços da Internet. Era este o grande objectivo desta iniciativa. Dar a conhecer um outro lado de cada blogger e, ao mesmo tempo, fazer-nos mergulhar num Cinema que pode ser muito mais real do que se pensa.

Para terminar, deixo-vos o meu Já Vi(vi) este Filme.

Já tive esta sensação de dejà vu mais do que uma vez ao assistir a filmes - acho que nem o preciso dizer, já que o nome deste blog o diz logo à partida. Podia escolher Submarine (como o Ricardo Rodrigues) e relembrar a minha fase Oliver Tate, ou (500) days of Summer, e preferir o Outono ao Verão, Inception e os sonhos dentro de sonhos que já tive muitas vezes (tal como o Frederico Daniel), Aniki Bobó e regressar à infância e às brincadeiras na rua, A Laranja Mecânica e os copos de leite (o Sebastião Barata diz-se testemunha), Beginners e relembrar alguns dos momentos mais tristes e outros mais felizes, Thelma & Louise e adaptá-la a uma versão adolescente (e com um final diferente) em que, com a minha melhor amiga, corria riscos e explorava o mundo, mas optei por uma animação mais tranquila que diz muito a cinéfilos e não só.


Toy Story 3. O capítulo final (que se calhar ainda não é o final, mas gostávamos todos muito que fosse) da história de Andy e dos seus brinquedos. Não dei os meus preferidos a nenhuma menina fofinha como a Bonnie, mas o que realmente me faz ter vivido este filme é o carinho que sempre nutri pelos meus brinquedos (como a maioria de vocês, chorei e continuo a chorar naquele momento crucial da passagem do testemunho e das recordações). Tal como Bonnie e Andy também eu criava as mais fantásticas histórias quer com as barbies ou com carros, com o Dartacão e a Heidi (herdei-os eu dos meus primos mais velhos, qual Bonnie), os power rangers, o Son Gohan, e tantos outros brinquedos da moda ou não. Passava horas sentada no chão sozinha com os bonecos, criava cidades, aventuras mais ou menos perigosas... Será que na minha ausência também eles ganhavam vida e conversavam sobre o quanto gostavam de mim? Lá no fundo, espero bem que sim.

2 comentários:

Alexx M. disse...

Obrigada nós por nos teres convidado a participar neste desafio e a fazer-nos acreditar que os filmes são mais reais do que às vezes pensamos (incluindo, e talvez até principalmente, os de animação).
Beijinhos*

Os Filmes de Frederico Daniel disse...

Apesar de não ter visto o filme, sim já criei dessas cidades com bonecos. Ainda hoje com quase 25 quando não tenho nada para fazer ou quando estou entediado confesso que faço o mesmo com os brinquedos que ainda tenho, mas não tanto como antes. xD