quinta-feira, 27 de janeiro de 2022

Estreias da Semana #492

Esta Quinta-feira, chegam às salas de cinema portuguesas nove novos filmes. 28½ e Nightmare Alley - Beco das Almas Perdidas são duas das estreias em destaque. No streaming, também há várias novidades.

Teresa (Anabela Caetano), com quase 30 anos, procura emprego. Depois de um dia difícil, tudo deverá parecer bem num jantar com estrangeiros que visitam Lisboa.

355 (2022)
The 355
Uma arma ultrassecreta cai nas mãos de mercenários. A agente da CIA Mason "Mace" Brown (Jessica Chastain) terá de unir forças com a rival Marie (Diane Kruger), com a antiga aliada do MI6 e especialista em informática Khadijah (Lupita Nyong'o), e com a psicóloga colombiana Graciela (Penélope Cruz), numa missão perigosa com o intuito de recuperarem a arma enquanto se mantêm um passo à frente de Lin Mi Sheng (Bingbing Fan), a misteriosa mulher que as segue a todo o instante.

Albatros (2021)
Após dez anos de vida em comum, Laurent pede a namorada Marie em casamento. Vai até ser um casamento tradicional, com vestido branco. A pequena Poulette adora que os pais vão dar o nó. Embora a vida corra bem para a família, o trabalho de Laurent, que ele adora, tem o seu preço. Como chefe da polícia local na pitoresca comunidade de Étretat, na Normandia, ele não só tem de lidar com os bêbados do bar, mas também com crimes mais graves, de fraudes de seguros a abuso infantil, ou um parisiense suicida que se atira de um penhasco íngreme. Mas é quando o agricultor Julien desafia repetidamente as regulamentações da União Europeia que Laurent, finalmente, explode.

Eduardo e Mônica (2020)
O romance entre uma estudante de medicina libertária e um adolescente de 16 anos, ainda no colegial, pode dar certo? Adaptação da canção homónima de Renato Russo, a longa-metragem acompanha o relacionamento de Mônica (Alice Braga) e Eduardo (Gabriel Leone), que precisam superar as muitas diferenças para viver um grande amor na Brasília dos anos 80.

Gagarine (2020)
Yuri tem 16 anos e viveu toda a vida nas Torres Gagarine, um vasto projecto habitacional de tijolos vermelhos nos arredores de Paris. Amante da ciência, sonha tornar-se astronauta. Quando são divulgados os planos para demolir as torres, Yuri junta-se à resistência. Com os seus amigos, Diana e Houssam, embarca numa missão para salvar a casa que se tornou a sua "nave espacial".

Memória (2021)
Memoria
Uma escocesa de visita à irmã doente em Bogotá, na Colômbia, trava amizade com um jovem músico e com um arqueólogo francês encarregado de monitorizar o projecto de construção de um túnel, através da cordilheira dos Andes. Todas as noites, ela começa a ouvir ruídos cada vez mais altos que a impedem de dormir.

Nightmare Alley - Beco das Almas Perdidas (2021)
Nightmare Alley
Stanton Carlisle (Bradley Cooper) ganha o afeto de Zeena (Toni Collette) e do seu marido Pete (David Strathairn), um antigo mentalista. O casal ensina-lhe os truques do negócio e o trabalho no circo itinerante torna-se também um bilhete dourado para o sucesso, o que lhe permite usar o conhecimento recém-adquirido para subjugar a elite rica da sociedade nova-iorquina dos anos 40. Com Molly (Rooney Mara) a seu lado, Stanton conspira para enganar um perigoso magnata (Richard Jenkins) com a ajuda de uma psiquiatra (Cate Blanchett) que, em simultâneo, poderá revelar-se a mais perigosa das adversárias. Remake do filme de 1947 realizado por Edmund Goulding. Baseado no romance homónimo de William Lindsay Gresham.

Pica e o Cristal Mágico (2019)
Latte Igel und der magische Wasserstein / Latte and the Magic Waterstone
Quando um urso ganancioso rouba uma pedra mágica para manter a água da floresta para si, um ouriço corajoso e um esquilo tímido trabalharão juntos para recuperá-la.

Swallow (2019)
Aparentemente, Hunter (Haley Bennett) parece ter tudo. Engravidou recentemente e parece feliz por passar o  tempo a cuidar de uma casa imaculada e a agradar ao marido, Richie (Austin Stowell). No entanto, à medida que aumenta a pressão para satisfazer os sogros controladores e as rígidas expectativas do marido, começam a surgir fissuras na aparência cuidadosamente cultivada. Hunter desenvolve um hábito perigoso e um segredo obscuro do passado infiltra-se sob a forma de uma desordem que a faz engolir compulsivamente objectos não comestíveis e, muitas vezes, perigosos...

Netflix Portugal

Estreou a 21 de Janeiro:

Munique à Beira da Guerra (2021)
Munich: The Edge of War
Baseado no best-seller internacional de Robert Harris. No outono de 1938, a Europa encontra-se à beira da guerra. Adolf Hitler prepara-se para invadir a Checoslováquia, e o governo de Neville Chamberlain procura desesperadamente uma solução pacífica. Dada a crescente pressão, Hugh Legat, um funcionário público britânico, e Paul von Hartmann, um diplomata alemão, viajam até Munique para a Conferência de emergência. Quando as negociações começam, os dois velhos amigos vêem-se no centro de uma teia de subterfúgio político e perigo bem real. Com o mundo inteiro de olhos postos neles, conseguirão evitar a guerra? E, caso consigam, a que preço...?

Estreia a 28 de Janeiro:

Jogar em Casa (2022)
Home Team
Dois anos após vencer a Super Bowl, o treinador da NFL Sean Payton é suspenso e regressa à terra natal, onde se reaproxima do filho de 12 anos, ao treinar a sua equipa de futebol americano da escola.

Disney +

Estreia a 28 de Janeiro:

A Idade do Gelo: As Aventuras de Buck (2022)
The Ice Age Adventures of Buck Wild
Crash e Eddie juntam-se ao amigo Buck Selvagem para enfrentar os dinossauros do mundo perdido.

TVCine

Estreia a 28 de Janeiro:

Fórmula 1 (2013)
1
A história dos carismáticos pilotos que arriscaram a vida durante a era mais perigosa e mortífera da Fórmula 1 e daqueles que impuseram a sua vontade e mudaram o desporto para sempre. Documentário realizado por Paul Crowder, com narração de Michael Fassbender.

Estreia a 29 de Janeiro:

Needle in a Timestack (2021)
Nick e Janine vivem um casamento feliz até ao dia em que o ex-marido de Janine distorce o tempo para os tentar separar. À medida que as memórias de Nick desaparecem, ele tem de decidir o que está disposto a sacrificar a fim de agarrar - ou largar - tudo o que ama.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2022

Prémios César 2022: Nomeados

Os nomeados para a 47.ª edição dos César, os prémios do cinema francês, foram anunciados esta Quarta-feira, dia 26 de Janeiro. Os vencedores serão anunciados numa cerimónia, em Paris a 25 de Fevereiro.

Ilusões Perdidas (Illusions perdues), de Xavier Giannoli, lidera a corrida com 15 nomeações.

Eis a lista completa de nomeados:

MELHOR FILME
Aline
Annette
Bac Nord
O Acontecimento
La Fracture
Ilusões Perdidas
Onoda, 10 000 noites na Selva

MELHOR PRIMEIRO FILME
Gagarine
Les Magnétiques
La Nuée
La Panthère des neiges
Slalom

MELHOR REALIZAÇÃO
Valérie Lemercier, Aline
Leos Carax, Annette
Cédric Jimenez, Bac Nord
Audrey Diwan, O Acontecimento
Xavier Giannoli, Ilusões Perdidas
Arthur Harari, Onoda, 10 000 noites na Selva
Julia Ducournau, Titane

MELHOR ARGUMENTO ORIGINAL
Valérie Lemercier, Brigitte Buc – Aline
Leos Carax, Ron Mael, Russell Mael – Annette
Yann Gozlan, Simon Moutaïrou, Nicolas Bouvet-Levrard – Boïte Noire
Catherine Corsini, Laurette Polmanss, Agnès Feuvre – La Fracture
Arthur Harari, Vincent Poymiro – Onoda, 10 000 noites na Selva

MELHOR ARGUMENTO ADAPTADO
Yaël Langmann, Yvan Attal – Les Choses Humaines
Audrey Diwan, Marcia Romano – O Acontecimento
Xavier Giannoli, Jacques Fieschi – Ilusões Perdidas
Céline Sciamma, Léa Mysius, Jacques Audiard – Paris 13
Mathieu Amalric – Abraça-me Com Força

MELHOR ACTRIZ
Leïla Bekhti, Les Intranquilles
Valéria Bruni Tedeschi, La Fracture
Laure Calamay, Une Femme Du Monde
Virginie Efira, Benedetta
Vicky Krieps, Abraça-me com Força
Valérie Lemercier, Aline
Léa Seydoux, France

MELHOR ACTOR
Damien Bonnard, Les Intranquilles
Adam Driver, Annette
Gilles Lellouche, Bac Nord
Vincent Macaigne, Médecin de nuit
Benoît Magimel, De son vivant
Pio Marmaï, La Fracture
Pierre Niney, Boîte noire

MELHOR ACTRIZ SECUNDÁRIA
Jeanne Balibar, Ilusões Perdidas
Cécile de France, Ilusões Perdidas
Aissatou Diallo Sagna, La Fracture
Adèle Exarchopoulos, Mandíbulas
Danielle Fichaud, Aline

MELHOR ACTOR SECUNDÁRIO
François Civil, Bac Nord
Xavier Dolan, Ilusões Perdidas
Vincent Lacoste, Ilusões Perdidas
Karim Leklou, Bac Nord
Sylvain Marcel, Aline

MELHOR ACTRIZ REVELAÇÃO
Noée Abita, Slalom
Salomé Dewaels, Ilusões Perdidas
Agathe Rousselle, Titane
Anamaria Vartolomei, O Acontecimento
Lucie Zhang, Paris 13

MELHOR ACTOR REVELAÇÃO
Sandor Funtek, Suprêmes
Sami Outalbali, Une histoire d'amour et de désir
Timotée Robart, Les magnétiques
Makita Samba, Paris 13
Benjamin Voisin, Ilusões Perdidas

MELHOR DOCUMENTÁRIO
Adolescentes
La cravate
Cyrille, agriculteur, 30 ans, 20 vaches, du lait, du beurre, des dettes
Histoire d'un regard
Un pays qui se tient sage

MELHOR FILME ESTRANGEIRO
Animal
Bigger Than Us
Debout les femmes
Indes galantes
La Panthère des neiges

MELHOR FOTOGRAFIA
Annette
Ilusões Perdidas
Paris 13
Onoda, 10 000 noites na Selva
Titane

MELHOR MONTAGEM
Annette
Bac Nord
Boîte Noire
La Fracture
Ilusões Perdidas

MELHOR DESIGN DE PRODUÇÃO
Aline
Annette
Délicieux
Eiffel
Ilusões Perdidas

MELHOR BANDA SONORA ORIGINAL
Annette
Bac Nord
Boîte Nord
Paris 13
La Panthère des Neiges

MELHORES EFEITOS VISUAIS
Aline
Annette
Eiffel
Ilusões Perdidas
Titane

MELHOR SOM
Aline
Annette
Boîte noire
Ilusões Perdidas
Les magnétiques

MELHOR GUARDA-ROUPA
Aline
Annette
Délicieux
Eiffel
Ilusões Perdidas

MELHOR CURTA-METRAGEM
L'Âge tendre
Le Départ
Des Gens bien
Les Mauvais garçons
Soldat Noir

MELHOR FILME DE ANIMAÇÃO
Même les souris vont au Paradis
Le Sommet des dieux
La Traversée

MELHOR CURTA-METRAGEM DE ANIMAÇÃO
Empty Places
Folie Douce, Folie Dure
Le Monde en soi
Précieux

MELHOR CURTA-METRAGEM DOCUMENTAL
America
Les Antilopes
La Fin des rois
Maalbeek

Crítica: Being the Ricardos (2021)

*5.5/10*

Aaron Sorkin escreve e realiza Being The Ricardos, filme que apresenta a história de duas figuras icónicas da televisão norte-americana, Lucille Ball e Desi Arnaz

Apesar do grande sucesso da sua sitcom I Love Lucy, a relação pessoal e profissional de Lucille Ball (Nicole Kidman) e Desi Arnaz (Javier Bardem) fica ameaçada por graves acusações pessoais e políticas por parte da imprensa.

Being The Ricardos leva a plateia aos bastidores da sitcom dos anos 50 e à intimidade do casal, entre acusações de comunismo, desconfianças, difíceis decisões criativas e a censura na televisão. Para além da tensão presente entre os protagonistas e aqueles com quem trabalham, Aaron Sorkin intercala a acção com situações do passado do casal, desde o momento em que se conheceram, à passagem de Lucille pela rádio e a sua chegada à televisão. Por vezes, Being the Ricardos transforma-se ainda num falso documentário, com os testemunhos dos argumentistas e realizador da sitcom - mais velhos - a contar a sua versão dos acontecimentos. 

Nicole Kidman e Javier Bardem fazem um trabalho consistente na pele de Lucille e Desi, com destaque para a actriz, que incorpora maneirismos e a forma afectada mas decidida da sua personagem, ao mesmo tempo que é capaz de ir da comédia ao drama em breves instantes. Caracterização e direcção artística fazem um excelente trabalho na reencenação da época dos acontecimentos, e de todo o ambiente de bastidores de I Love Lucy.

Being The Ricardos será talvez bom entretenimento para os que conhecem a sitcom e os protagonistas, mas não fugirá da monotonia para quem não está familiarizado com o casal - pouco original, pouco dinâmico e pouco empático.

domingo, 23 de janeiro de 2022

Sugestão da Semana #491

Das estreias da passada Quinta-feira, a Sugestão da Semana destaca O Bom Patrão, de Fernando León de Aranoa, protagonizado por Javier Bardem.

O BOM PATRÃO


Ficha Técnica:
Título Original: El buen patrón
Realizador: Fernando León de Aranoa
Elenco: Javier Bardem, Manolo Solo, María de Nati, Almudena Amor, Sonia Almarcha, Óscar de la Fuente
Género: Comédia
Classificação: M/12
Duração: 120 minutos

quinta-feira, 20 de janeiro de 2022

Crítica: A Tragédia de Macbeth / The Tragedy of Macbeth (2021)

"Life is but a walking shadow... a poor player that struts and frets his hour upon the stage and then is heard no more. It is a tale told by an idiot... full of sound and fury, signifying nothing."

Macbeth


*7/10*

Joel Coen arriscou numa adaptação da obra de William Shakespeare e eis que surge A Tragédia de Macbeth (The Tragedy of Macbeth), uma versão mais minimalista e estilizada da peça.

"Macbeth, o Thane de Glamis, recebe uma profecia de um trio de bruxas de que um dia se tornará Rei da Escócia. Consumido pela ambição e incitado à acção pela esposa, Macbeth assassina o seu rei e toma o trono para si."


A Tragédia de Macbeth é uma obra sóbria e eficaz a relatar uma tragédia já tantas vezes filmada. Desta vez, a ambição e a sede de poder são encarnados por Denzel Washington e Frances McDormand, ele entre a hesitação, a cobardia e o remorso, ela capaz de corrompê-lo e aliciá-lo a cometer o crime para fazer cumprir a profecia das trevas. A evolução do casal protagonista é fabulosamente interpretada pelos actores, que vão da discrição à loucura em pouco tempo e se transformam também fisicamente consoante as mudanças do enredo.

Filmado a preto e branco, com cenários assolados por um nevoeiro cerrado, terrenos áridos, ruínas e o imponente castelo de Macbeth, desprovido de decoração, A Tragédia de Macbeth explora o misticismo da história criando o ambiente ideal, mas sem desviar a atenção dos actores. A direcção de fotografia de Bruno Delbonnel faz um excelente trabalho na criação de uma atmosfera fantasmagórica, tirando o melhor partido das cores neutras e jogando com luzes e sombras ao longo de toda a acção.

Joel Coen dotou o seu filme de uma forte componente teatral, seja pelos cenários espaçosos e com uma iluminação repleta de significância - qual palco no ecrã -, ou pelo modo como as palavras de Shakespeare são proclamadas pelos actores, eles mesmos com uma presença dramática muito forte.

A Tragédia de Macbeth distingue-se pelas opções estéticas singulares - tão cinematográficas - e por colocar uma tragédia tão reconhecida num patamar totalmente diferente das adaptações suas antecessoras.

Estreias da Semana #491

Esta Quinta-feira, chegam aos cinemas portugueses seis novos filmes. A Vida Extraordinária de Louis Wain e O Bom Patrão são duas das estreias.

A Vida Extraordinária de Louis Wain (2021)
The Electrical Life of Louis Wain
Inspirado na vida do excêntrico artista britânico Louis Wain, cujas imagens lúdicas, às vezes psicadélicas, ajudaram a transformar para sempre a perceção do público sobre os gatos. Passado entre o final do século XIX e a década de 1930, o filme acompanha as aventuras deste herói inspirador e anónimo. Louis foi muitas coisas durante a vida: artista, inventor, empresário, tentando o seu melhor para cuidar das cinco irmãs e da mãe. Mas dois acontecimentos mudaram-no para sempre: conhecer Emily, o amor da sua vida, e adoptar Peter, um gato vadio. Ambos, vão tornar-se sua família e fonte de inspiração para pintar as imagens extraordinárias que o tornaram famoso.

Cães do Ártico: Uma Aventura no Gelo (2019)
Arctic Dogs
Swifty é uma raposa-do-ártico que trabalha nos correios, mas sonha tornar-se um dos rápidos cães correio, algo que em Taigasville, a aldeia onde vive, equivale a ser uma celebridade. Para provar ser capaz de desempenhar essa tarefa, Swifty rouba um trenó e vai entregar uma encomenda a um local remoto e misterioso. Por acidente, descobre o plano maquiavélico do Doutor Walrus para derreter e aniquilar o Ártico. Para evitar que isto aconteça, Swifty tem de agir rapidamente e reunir os amigos para salvar Taigasville – e o Ártico – da destruição.

Ilusões Perdidas (2021)
Illusions perdues
Na França do século XIX, Lucien é um jovem poeta desconhecido, com grandes esperanças e aspirações. Deixa a tipografia na sua província natal para tentar a sorte em Paris sob a tutela da sua mecenas. Rapidamente deixado à sua sorte na grande cidade, Lucien descobrirá os meandros deste mundo submisso à lei do lucro e do fingimento. Uma comédia humana onde tudo tem um preço, seja o sucesso literário, na imprensa, na política, ou nos sentimentos. Adaptação do livro de Honoré de Balzac.

O Bom Patrão (2021)
El Buen Patrón
Enquanto aguarda ansiosamente pela visita da comissão que irá atribuir um prémio de excelência empresarial, o proprietário de uma fábrica de balanças industriais tenta resolver, em tempo recorde, os problemas dos seus trabalhadores que são, igualmente, os seus próprios problemas. 

Penguin Bloom - O Renascer (2021)
Penguin Bloom
Em 2013, Samantha Bloom (Naomi Watts), o marido Cameron (Andrew Lincoln) e os três filhos de ambos deixam a sua casa na Austrália para irem passar férias na Tailândia. Enquanto apreciam a paisagem, Sam cai de um terraço, devido ao que mais tarde se vem a saber ser um corrimão apodrecido, e fratura as vértebras em dois locais. Paralisada do peito para baixo, Sam - que sempre foi uma amante da natureza, do surf e de viajar - não se reconhece a si mesma e passa longos meses num estado de depressão que a faz questionar o seu papel no mundo e no seio da própria família. Um ano depois, os filhos trazem para casa uma cria de pega que encontraram ferida. Embora hesitante, Sam observa a avezinha branca e negra que os filhos batizaram de Penguin e acaba por criar laços com ela, encetando um processo de cura emocional que surpreende não só o marido, os filhos e a mãe (Jacki Weaver), mas também ela própria.

Terra Estrangeira (versão restaurada) (1996)
Anos 90. Sem perspectiva de vida num Brasil tomado pelo caos em plena era Collor, Paco decide viajar para Portugal após a morte da mãe, levando uma misteriosa encomenda. Em Lisboa, ele conhece Alex, brasileira namorada de Miguel, todos envolvidos num esquema de contrabando, que vai tornar as suas vidas num pesadelo.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2022

Doclisboa 2022: 'A Questão Colonial' é a primeira retrospectiva anunciada

A Questão Colonial é o título da primeira retrospectiva do Doclisboa 2022, agora anunciada. A 20.ª edição do festival decorrerá de 6 a 16 de Outubro, na Culturgest, Cinema São Jorge, Cinemateca Portuguesa e Cinema Ideal.

A Questão Colonial consistirá num "ciclo de cinema que se desdobra entre o passado colonial de França e Portugal, dois países que coincidem no período de guerra com os territórios africanos que clamavam para si e que foi camuflada em narrativas benignas, resistindo a um confronto com a sua própria história", anunciou o festival, em comunicado. A curadora da retrospetiva, Amarante Abramovici, explica que “a sequência de Actualidades no final do Acto da Primavera, de Manoel de Oliveira, representa de algum modo tudo o que da guerra colonial transpirou para o cinema português até muito recentemente – está lá, e quase não está. A guerra a que não se chamava 'guerra', fura a censura, e, nesse mesmo gesto, revela-a. No caso de França, onde a guerra de Argélia era apoucada no termo 'évènements', já para não falar dos anteriores conflitos na África subsaariana - esses totalmente ocultados -, a lei da censura fora reforçada em 1955 e o cinema era um dos seus alvos mais notórios.”

O programa de A Questão Colonial quer olhar para "a diversidade de representações cinematográficas realizadas pelos e sobre os vários protagonistas destas guerras, bem como as suas ligações e diferenças, convocando os testemunhos directos de quem viveu o período colonial e revisitando as memórias e feridas do colonialismo".

O ciclo integra a programação da Temporada Portugal França 2022 e terá uma segunda parte, realizada em França, em colaboração com a Shellac Films, durante o mês de Outubro. 

Mais informações sobre o Doclisboa 2022 podem ser consultadas em doclisboa.org.