terça-feira, 26 de maio de 2020

Drive in Comic Con Portugal Sessions: Oeiras recebe Cinema entre 1 e 7 de Junho

Oeiras será a primeira cidade a receber o Drive in Comic Con Portugal Sessions, entre 1 e 7 de Junho, no Jardim Municipal. 

Todas as noites, a partir das 20h00, haverá uma sessão de cinema com um filme diferente, para os espectadores assistirem dentro das suas viaturas. Na Sexta-feira e Sábado, haverá sessões duplas, com o visionamento de dois filmes seguidos.


A abrir o Drive in Comic Con Portugal Sessions, estará o O Meu Espião, protagonizado por Dave Bautista, mas o público poderá assistir a outros filmes, de géneros muito diferentes, até dia 7 de Junho: ParasitasIT 2Homem-Aranha: Longe de CasaEra uma vez em… HollywoodJohn Wick 3AfterLa La Land e Brightburn: O Filho do Mal.

O evento é gratuito, sujeito a reserva antecipada (preenchendo um formulário com o dia/sessão pretendido, através do site do evento). Após concluir o processo de reserva, os participantes terão de aguardar por um e-mail e SMS de confirmação com a informação da reserva, que deverão apresentar no dia do evento, para a entrada no recinto.

"Após a entrada, os participantes devem estacionar e posicionar o automóvel no local indicado, sintonizar a frequência e assistirem aos conteúdos que irão passar no ecrã gigante, no conforto e segurança da sua viatura. Os lugares de estacionamento irão respeitar uma distância de segurança, para que cada viatura esteja distante das restantes", explica a organização, em comunicado.

Programação

1 DE JUNHO
20h00 – Entrada no recinto e estacionamento de viaturas
20h30 – 21h20 – Conteúdo Exclusivo da Indústria e Conteúdo Comic Con Portugal
21h30 – O Meu Espião (Cinemundo)

2 DE JUNHO
20h00 – Entrada no recinto e estacionamento de viaturas
20h30 – 21h20 – Conteúdo Exclusivo da Indústria e Conteúdo Comic Con Portugal

3 DE JUNHO
20h00 – Entrada no recinto e estacionamento de viaturas
20h30 – 21h20 – Conteúdo Exclusivo da Indústria e Conteúdo Comic Con Portugal

4 DE JUNHO
20h00 – Entrada no recinto e estacionamento de viaturas
20h30 – 21h20 – Conteúdo Exclusivo da Indústria e Conteúdo Comic Con Portugal
21h30 – IT 2 (NOS Audiovisuais)

5 DE JUNHO
20h00 – Entrada no recinto e estacionamento de viaturas
20h30 – 21h20 – Conteúdo Exclusivo da Indústria e Conteúdo Comic Con Portugal
21h30 – 23h30 – La La Land (Pris Audiovisuais)
00h30 – Brightburn: O Filho do Mal (Big Picture)

6 DE JUNHO
20h00 – Entrada no recinto e estacionamento de viaturas
20h30 – 21h20 – Conteúdo Exclusivo da Indústria e Conteúdo Comic Con Portugal
21h30 – 23h30 – Homem-Aranha: Longe de Casa (Big Picture)
00h30 – John Wick 3 (Pris Audiovisuais)

7 DE JUNHO
20h00 – Entrada no recinto e estacionamento de viaturas
20h30 – 21h20 – Conteúdo Exclusivo da Indústria e Conteúdo Comic Con Portugal
21h30 – After (Cinemundo)

Mais informações e regras a respeitar no Drive in Comic Con Portugal Sessions em https://drive-in.comic-con-portugal.com/.

segunda-feira, 25 de maio de 2020

Participação no podcast Prestes a Ver de Daniel Reifferscheid

Há poucas semanas, recebi o convite, da parte do Daniel Reifferscheid, para participar no seu podcast Prestes a Ver, onde o autor "parte à descoberta do cinema português, acompanhado por um convidado diferente em cada episódio". Para a conversa, escolhi o último filme que vi no cinema, antes do confinamento: Mosquito, de João Nuno Pinto.


Deixo-vos aqui o resultado final - com spoilers -, e renovada recomendação para que todos assistam ao filme, que vale muito a pena - está disponível no Filmin.


sexta-feira, 22 de maio de 2020

Gestos & Fragmentos [22 a 28 de Maio]: Cinemateca em Casa

Há dois novos filmes para ver online na iniciativa Gestos & Fragmentos da Cinemateca Portuguesa, entre outras experiências, entre dia 22 e 28 de Maio. O Táxi N.º 9297 e Jogo de Mão são as sugestões desta semana.


Filmes para ver esta semana (22 a 28 de maio):

Sala de Projecção:
Memórias, histórias, reflexões ou simples notas deste novo quotidiano que vivemos
(novas entradas por Bernard Eisenschitz, Michel David, Ricardo Vieira Lisboa,
Mark Rappaport,  Manuel S. Fonseca, Mark Cousins, José Oliveira,
Vitor Ribeiro, Manuela Viegas, Beatriz Saraiva e Tiago Baptista)

Textos & Imagens:

A Cinemateca Júnior vai a casa:

O Museu vai a casa:

Histórias do Cinema:
Bernard Eisenschitz / Nicholas Ray
WE CAN'T GO HOME AGAIN

Jonathan Rosenbaum / Erich von Stroheim
QUEEN KELLY

Naum Kleiman / S. M. Eisenstein
IVAN GROZNY / IVAN, O TERRÍVEL

Jean Douchet / Eric Rohmer
L’ANGLAISE ET LE DUC / A INGLESA E O DUQUE

Laura Mulvey / Douglas Sirk
IMITATION OF LIFE / IMITAÇÃO DA VIDA

Próximas séries online (disponíveis a partir da próxima semana):
Adrian Martin/Fritz Lang
Jonathan Rosenbaum/Orson Welles
Cyril Neyrat/Chantal Akerman
Adriano Aprà/Roberto Rossellini
Peter Bagrov/Fridrikh Ermler

quarta-feira, 20 de maio de 2020

Gestos & Fragmentos [15 a 21 de Maio]: Cinemateca em Casa

A iniciativa Gestos & Fragmentos da Cinemateca Portuguesa apresenta ao público dois novos filmes para ver online, entre outras experiências, até dia 21 de Maio. João Ratão e Máscara de Aço Contra Abismo Azul são as sugestões desta semana.

Máscara de Aço Contra Abismo Azul
Filmes para ver esta semana (15 a 21 de maio):

Sala de Projecção:
(novas entradas por Jorge Silva Melo, Luís Miguel OliveiraFrancisco Valente e João Pedro Bénard)

Textos & Imagens:

A Cinemateca Júnior vai a casa:

O Museu vai a casa:

Histórias do Cinema:
Quartos episódios das séries
Bernard Eisenschitz / Nicholas Ray

Jonathan Rosenbaum / Erich von Stroheim

Naum Kleiman / S. M. Eisenstein

Jean Douchet / Eric Rohmer

Laura Mulvey / Douglas Sirk

terça-feira, 19 de maio de 2020

Cinemateca Portuguesa reabre gradualmente a partir de 1 de Junho

A Cinemateca Portuguesa anunciou que irá começar a reabrir os seus serviços públicos, gradualmente, a partir de 1 de Junho, "na sequência das orientações superiores sobre a matéria e de acordo com as regras ditadas pelas autoridades de saúde".


Os primeiros a abrir ao público a 1 de Junho serão a Biblioteca, no edifício sede na Rua Barata Salgueiro, em Lisboa, e actividades de acesso à colecção fílmica no departamento de arquivo (ANIM), em Bucelas, "neste último caso visionamentos para investigadores e cedência de excertos de filmes". Os dois serviços "funcionarão por marcação e com algumas restrições a nível de lotação e condições de higiene e segurança para todos os funcionários e utilizadores. Quanto ao acesso à colecção fílmica, nesta fase será apenas facultado acesso público a suportes digitais".

Ainda nesta data, reabrirão o Bar/Restaurante 39 Degraus e da Livraria Linha de Sombra, com horário reduzido e as restrições ditadas para este tipo de actividade.

Para o início de Julho, está marcado o regresso da programação da Cinemateca, em regime parcial e adaptado. Assim, entre 1 e 31 de Julho, "serão organizadas duas sessões diárias no edifício sede, uma durante a tarde, na Sala M. Félix Ribeiro, e uma sessão nocturna na Esplanada". Regressarão também as sessões da Cinemateca Júnior no Palácio Foz, com algumas sessões aos sábados à tarde. "Todas as sessões terão restrições a nível de lotação e serão implementadas as medidas necessárias para garantir a segurança dos espectadores", acrescenta-se em comunicado.

O programa e horários a apresentar em Julho serão comunicados no dia 15 de Junho.

Enquanto a programação não é retomada, ao longo do mês de Junho, continuam a decorrer as iniciativas da plataforma Gestos & Fragmentos com a inserção regular de novos conteúdos e contributo.

segunda-feira, 18 de maio de 2020

Momentos Para Recordar #67

O actor francês, de ascendência italiana, Michel Piccoli deixou-nos no passado dia 12 de Maio, aos 94 anos. Com uma carreira tão extensa, podiam ser tantos os filmes a destacar neste Momentos Para Recordar. Belle Toujours (2006) e Vou Para Casa (2001), de Manoel de OliveiraGenealogias de um Crime (1997), de Raoul RuizA Bela Impertinente (1991), de Jacques RivetteMá Raça (1986), de Leos CaraxOs Inseparáveis (1974), O estranho caso do Inspector Max (1971) e As Coisas da Vida (1970), de Claude SautetA Grande Farra (1973), de Marco FerreriO Fantasma da Liberdade (1974) e A Bela de Dia (1967), de Luis BuñuelPáginas Íntimas (1966), de Agnès VardaO Desprezo (1963), de Jean-Luc Godard, são alguns dos muitos títulos que marcaram a longa carreira de Piccoli.

Hoje, recordamos o filme de Nanni Moretti, Habemus Papam - Temos Papa (2011), onde o actor interpretou um Sumo Pontífice com um ataque de pânico.

Habemus Papam - Temos Papa (Habemus Papam), Nanni Moretti (2011)

Crítica: Liberdade / Give Me Liberty (2019)

*7/10*


Kirill Mikhanovsky traz-nos Liberdade, uma tragicomédia alucinante, um road movie pelas ruas de Milwaukee, com os protagonistas mais inesperados, todos eles na luta pelos seus direitos e inclusão.

O filme baseia-se em experiências do realizador num dos primeiros empregos nos EUA, onde conduziu uma carrinha de transporte de doentes com incapacidade, tal como o protagonista de Liberdade.

Vic (Chris Galust) é um jovem desafortunado russo-americano, que conduz uma carrinha de transporte de pessoas incapacitadas, em Milwaukee. Já atrasado, num dia em que começam protestos contra a violência policial nas ruas, concorda, relutantemente, em levar o avô e vários idosos russos a um funeral. À beira de ser despedido, pára ainda num bairro predominantemente afro-americano para ir buscar Tracy (Lauren 'Lolo' Spencer), uma jovem com esclerose lateral amiotrófica, e o dia vai de mal a pior.


Aquela carrinha junta culturas, idades, personalidades e condições tão distintas, qual Torre de Babel dos novos tempos. Sejam imigrantes, doentes, incapacitados, afro-americanos, todos os passageiros (e condutor) daquele veículo se sentem como estranhos naquele país de supostas oportunidades. Naquela carrinha, vemos como o sonho americano é só para alguns e que aqueles que não fazem parte desse pequeno grupo lutam, com todas as forças, pelo seu direito de serem e sentirem-se livres e realizados.

Liberdade é uma obra humanista e multicultural que, por vezes, foge para o documental, em especial nos momentos filmados no Centro Eisenhower e com os seus utentes. Mikhanovsky trabalhou com actores e não actores, e apela à dignidade de todos.

A primeira metade do filme é bastante entusiasmante, numa luta contra o tempo, a alta velocidade, tentando apressar a chegada de cada passageiro ao seu destino, com todos os percalços que acontecem pelo caminho. Os momentos mais hilariantes e quase inacreditáveis aumentam a adrenalina que se sente em ambos os lados do ecrã. Torcemos para que todos cheguem a horas, mas sabemos que aqueles "dez minutos" que Vic diz demorar são mais de duas horas e poderão não ser suficientes para manter o emprego.


Depois desta maratona estrada fora, o ritmo de Liberdade muda bruscamente, e poderíamos pensar que já não estávamos a ver o mesmo filme, já que o tom transforma-se totalmente. Há alguma acalmia na acção, os mesmos temas continuam na ordem do dia, mas a longa-metragem torna-se mais angustiante e talvez menos surpreendente.

E apesar desta inconsistência, Liberdade prima ainda pelas opções do realizador, que filma algumas cenas em película de 16 mm, e onde a música em formato analógico tem também destaque na caracterização de Vic, que adora discos de vinil. Mikhanovsky convida-nos a apanhar boleia na carrinha do protagonista e descobrir todas as realidades que cabem e convivem lá dentro.

sábado, 16 de maio de 2020

Europa Film Fest: Oito filmes grátis no Filmin a partir de 15 de Maio

O Europa Film Fest leva o Cinema Europeu a casa a partir de 15 de Maio, no Filmin. Serão disponibilizados oito títulos de forma gratuita, "para celebrar os 70 anos do primeiro passo dado para a criação da União Europeia".


As longas-metragens que compõem esta mostra gratuita são: Deus Existe, o Seu Nome é Petrunya, de Teona Strugar Mitevska (nunca antes mostrado em Portugal), Toni Erdmann, de Maren AdeMustang, de Deniz Gamze ErgüvenIda, de Paweł Pawlikowski (crítica aqui), Ciclo Interrompido, de Felix Van Groeningen, O Fantasma da Sicília, de Fabio Grassadonia e Antonio Piazza, o português Cartas da Guerra, de Ivo M. Ferreira (crítica aqui), e Mediterrânea, de Jonas Carpignano.

Entre 15 e 21 de Maio, os interessados poderão assistir aos oito filmes, em sinal aberto, bastando o registo gratuito em www.filmin.pt.

A iniciativa é promovida pela Comissão Europeia em Portugal e o Filmin Portugal, com a colaboração do Parlamento Europeu em Portugal, do Programa Europa Criativa MEDIA, e de alguns distribuidores de cinema independente e europeu em Portugal: Alambique, Legendmain, Midas, O Som e a Fúria, Outsider e Risi Film.