segunda-feira, 3 de outubro de 2022

Arquiteturas Film Festival 2022: Vencedores

Já são conhecidos os filmes vencedores da 9.ª edição do Arquiteturas Film FestivalNeighbors in my backyard, de Eli Jean Tahchi, Luz de Presença, de Diogo Costa Amarante, e What Shall We Do With These Buildings?, de Jonathan Ben-Shaul, foram algumas das obras premiadas.

Eis a lista completa de vendedores em cada categoria:

Consciência Social

Neighbors in my backyard - Eli Jean Tahchi

15', Canadá, 2021


Documentário

Concrete Forms of Resistance - Nick Jordan

27', Reino Unido, 2019


Experimental

Terrain Vague - Edward Kihn

48', Estados Unidas da América, 2020


Ficção

Luz de Presença - Diogo Costa Amarante

27', Portugal, 2021


Novo Talento

Lugares de Ausência - Melanie Pereira

28', Portugal, 2021


Público

What Shall We Do With These Buildings? - Jonathan Ben-Shaul

28', Ucrânia, 2022


Menção Honrosa

Per voi oggi la luce del sole non splenderà - Andrea Bordoli

19', Suiça, 2021

domingo, 2 de outubro de 2022

Sugestão da Semana #528

Das estreias da passada Quinta-feira, a Sugestão da Semana destaca o português Fogo-Fátuo, de João Pedro Rodrigues. Lê a nossa crítica.

FOGO-FÁTUO


Ficha Técnica:
Título Original: Fogo-Fátuo
Realizador: João Pedro Rodrigues
Elenco: Mauro Costa, André Cabral, Joel Branco, Margarida Vila-Nova, Miguel LoureiroAnabela Moreira, Raquel Rocha Vieira, Joana Barrios, João Villas-Boas, João Reis Moreira, João Mota, Paulo Bragança, João Caçador
Género: Comédia, Musical, Romance
Classificação: M/16
Duração: 67 minutos

sexta-feira, 30 de setembro de 2022

Cinema na TV generalista no fim-de-semana: Outubro #1

Cinema Fernando Lopes reabre a 5 de Outubro com estreias e mostras exclusivas

O Cinema Fernando Lopes reabre a 5 de Outubro com uma programação de estreias e mostras exclusivas. 

A Cinetoscópio, empresa responsável pela programação do Cinema Fernando Lopes, estabeleceu parcerias com distribuidoras e produtoras nacionais, bem como com festivais de cinema, "que serão a fonte dos conteúdos tendencialmente exclusivos que serão exibidos neste cinema".

Destaque para a parceria já fechada com o Cinema Bold, projecto da Alambique Filmes, com um "catálogo de filmes que exploram os limites de todas as convenções e que proporciona aos espectadores portugueses o acesso regular ao mais arrojado e pertinente jovem cinema independente".

A partir de Outubro haverá também uma sessão mensal de curtas-metragens, com curadoria exclusiva da Agência da Curta Metragem. Serão pontualmente realizadas ainda estreias em simultâneo e em parceria com a plataforma de streaming filmin.pt, dando a possibilidade aos espectadores de verem os filmes numa sala de cinema.

A reabertura do Cinema Fernando Lopes quer apostar na exibição de Cinema português, anunciando-se já a estreia de Chelas Nha Kau (Bataclan 1950, Bagabaga Studios), a 20 de Outubro. A sala continuará também a dar espaço às sessões especiais dos alunos da Universidade Lusófona, bem como a ser a casa que recebe a programação do Cineclube de Alvalade.


A partir de 5 de Outubro:

DAS PROFUNDEZAS (Il Buco)

de Michelangelo Frammartino

O realizador estará virtualmente presente na sessão das 19h00, dia 5 de Outubro 


OS INOCENTES (De Uskyldige)

de Eskil Vogt

Exclusivo na cidade de Lisboa 

 

A partir de 13 de Outubro:

INTEGRAL RUBEN ÖSTLUND - EM EXCLUSIVO NO CINEMA FERNANDO LOPES

Para assinalar a estreia do mais recente vencedor da Palma de Ouro, em Cannes, Triângulo da Tristeza, o Cinema Fernando Lopes, em colaboração com Alambique Filmes, fará uma retrospectiva integral da obra de Ruben Östlund.

O GUITARRISTA (Gitarrmongot)

Estreia inédita em sala de cinema 


INVOLUNTÁRIO (De Ofrivilliga)

Estreia inédita em sala de cinema 


PLAY (Play)

Estreia inédita em sala de cinema 


FORÇA MAIOR (Turist)


O QUADRADO (The Square)


A partir de 20 de Outubro:

Chelas nha kau

de colectivo Bataclan 1950, Bagabaga Studios 

Estreia em Exclusivo 


Mais informações em https://cinemafernandolopes.pt/.

quinta-feira, 29 de setembro de 2022

Crítica: Salgueiro Maia - O Implicado (2022)

*6/10*

Um dos grandes heróis da História portuguesa, que não teve o devido reconhecimento em vida, é o foco do filme Salgueiro Maia - O Implicado, de Sérgio Graciano. Um olhar sobre a vida do Capitão de Abril, desde a entrada na Academia Militar, ao papel fulcral que teve no 25 de Abril de 1974, nos primeiros anos pós-revolução, até ao seu afastamento e desencantamento com a vida militar.

Salgueiro Maia - O Implicado "retrata as histórias que ainda não foram contadas sobre o Capitão de Abril. As pequenas revelações que permitem  perceber  melhor  de  onde  vinha  a  moderação,  a  valentia,  a  educação  e  a  firmeza  com  que sempre se apresentou publicamente, e que foram a chave para que a Revolução dos Cravos tenha sido como foi"

A noite de 25 de Abril de 1974 é o ponto de partida do filme de Sérgio Graciano, que viaja atrás no tempo para contar, paralelamente, os primeiros tempos de Maia na Academia Militar, na Amadora, e os anos passados em África, na Guerra Colonial. É nesta fase que a sua personalidade forte e desafiadora se começa a moldar, primando pela humanidade e justiça.

Depois da Revolução, e por não ter preferências políticas, a carreira do Capitão de Abril entra em decadência, e, apesar de na vida pessoal ser feliz, a mágoa para com a falta de reconhecimento por toda a sua dedicação nunca o deixou.

Na pele de Salgueiro Maia, Tomás Alves é mesmo a alma da longa-metragem. O jovem actor a mostrar-se à altura do desafio, das emoções e do conflito interior da personagem: um homem que transformou a rebeldia da juventude em confiança, capaz de comandar os homens e lidar com as situações mais tensas com a coragem e a calma de poucos.

Mais televisivo do que cinematográfico, Salgueiro Maia - O Implicado é uma merecida homenagem a um homem a quem Portugal tanto deve, e que não foi capaz de agradecer-lhe em vida. Tomás Alves dignifica a figura do militar e do homem dentro da farda.

Estreias da Semana #528

Esta Quinta-feira, chegam aos cinemas portugueses seis novos filmes, e três deles são portugueses. No streaming, também há novidades.

1618 (2021)
Porto, 1618. Matos de Noronha, visitador da Inquisição, dirige-se para a cidade, numa carruagem escoltada pela sua guarda. Muitos cristãos-novos são suspeitos de heresia. António Álvares, mercador e filantropo respeitado, é o primeiro alvo da visitação. A fuga parece ser o único caminho.

Boa Sorte, Leo Grande (2022)
Good Luck to You, Leo Grande
Professora reformada e viúva, Nancy está certa de que nunca teve boas relações sexuais e está determinada a fazer algo a esse respeito. Até tem um plano: envolve um quarto de hotel anónimo e um jovem trabalhador do sexo que se intitula Leo Grande. Ele parece tão bem como na fotografia, mas Nancy não esperava tanta conversa. Leo tem opinião sobre tudo e embora nem sempre diga a verdade, Nancy descobre que gosta dele. E ele gosta dela. Com a crescente confiança sexual, Nancy começa a relaxar. Ao longo de três encontros, a dinâmica de poder muda e as suas máscaras bem gastas começam a deslizar.

No leito de morte, Sua Alteza Real Alfredo, Rei sem coroa, é levado de volta às memórias distantes da juventude e ao tempo em que sonhava tornar-se bombeiro. O encontro com o instrutor Afonso abre um novo capítulo na vida dos dois jovens. Um tempo dedicado ao amor, ao desejo, e à vontade de mudar o status quo.

Nunca Nada Aconteceu (2022)
Pedro, Maria e Paulo, três jovens inseparáveis, enfrentam os dramas e desilusões próprios da idade, em que os seus encontros são os únicos momentos de felicidade e liberdade, onde experimentam e arriscam o que ninguém pode saber. Em casa, Pedro encontra um pai desempregado e apático, uma mãe ausente e dissimulada. No dia em que o avô se muda para a casa da família, em Lisboa, vindo de uma aldeia isolada no Norte, o neto confronta-se com um dilema: dar uma oportunidade a quem o quer realmente conhecer, ou manter o pacto de libertação que o une aos amigos.

Os Jovens Amantes (2022)
Les Jeunes Amants
Shauna, arquitecta reformada, cruza-se com Pierre, um médico mais novo, casado, que conhecera 15 anos antes. O novo encontro surpreende ambos e acabam por se envolver. Enquanto a vida de Pierre muda, Shauna luta com sentimentos que acreditava pertencerem ao passado.

Sorri (2022)
Smile
Um incidente bizarro e traumático envolvendo uma paciente leva a Dra. Rose Cotter a começar a viver momentos assustadores que não consegue explicar. À medida que um terror avassalador se apodera da sua vida, Rose é obrigada a enfrentar o passado para conseguir sobreviver e fugir à terrível e nova realidade.

Disney +

Estreia a 30 de Setembro:

Três Bruxas Loucas 2 (2022)
Hocus Pocus 2
Passaram 29 anos desde que alguém acendeu a Vela da Chama Negra e trouxe as irmãs Sanderson do século XVII para o presente. Agora, cabe a três estudantes impedir que as bruxas causem um novo tipo de caos em Salém antes do amanhecer da véspera de Todos os Santos.

Apple TV +

Estreia a 30 de Setembro:

Um Brinde À Amizade (2022)
The Greatest Beer Run Ever
Para mostrar apoio aos amigos do bairro que servem no Vietname, Chickie Donohue (Zac Efron) decide fazer algo totalmente louco: viajar sozinho até à linha da frente e levar consigo um pequeno pedaço de casa - a cerveja americana preferida de todos. No entanto, o que começou como uma viagem bem intencionada rapidamente se transforma na aventura de uma vida  quando Chickie enfrenta a controversa realidade da guerra e a reunião com os amigos de infância o empurram para as responsabilidades da vida adulta.

quarta-feira, 28 de setembro de 2022

MDOC 2022 - Crítica: Via Norte / Périphérique Nord (2022), de Paulo Carneiro

*7/10*


Paulo Carneiro adora uma boa história, uma boa conversa. Foi assim na sua viagem de "investigação" em Bostofrio, Où Le Ciel Rejoint La Terre; é assim também no seu mais recente Via Norte, que estreou no Festival Visions du Réel, na Suíça, e depois em Portugal, no IndieLisboa e no MDOC - Festival Internacional de Documentário de Melgaço.

"Um cineasta viaja 2000 km em direção ao Norte onde se irá encontrar com alguns dos seus compatriotas forçados a deixar o país. Juntos, compartilham o amor por automóveis. Nesses encontros, o veículo é um estímulo para discutir questões de identidade e comunidade, dissolvendo assim fronteiras entre sociedade e território. No frio da noite escura procuram fugir à dureza do dia."

Em terras Suíças, o realizador Paulo Carneiro encontra-se com emigrantes portugueses que têm em comum o fascínio por carros. Entre as conversas sobre a paixão de quatro rodas, também se desabafa sobre o que é ser-se emigrante e qual a sensação das férias de regresso a Portugal.

Mais do que sobre carros ou sobre o gosto pelo tuning, Via Norte é sobre o sentimento de pertença, as saudades da terra natal, da família, o que é sentir-se parte de algum lugar. Paulo Carneiro regista com verdadeiro interesse os relatos de sacrifícios, superação e sonhos, na construção da identidade de quem se sente estrangeiro no seu país e fora dele.


Os carros são mais uma personagem do filme e ajudam a conhecer a personalidade dos seus donos - que os adoram quase como família -, e acompanham de perto cada testemunho emocionado. Via Norte segue estrada fora em busca do que une ou separa estes homens e mulheres, uma comunidade tão portuguesa, ainda que, fisicamente, sejam muitos os quilómetros que os separam do país que os viu nascer.

terça-feira, 27 de setembro de 2022

Festival Política 2022: Vencedores

O Teu Nome É e Alcindo são os grandes vencedores do Festival Política 2022.

Dos 22 filmes a concurso na secção de Cinema nas três edições do evento, em Lisboa, Braga e Loulé, O teu nome é, de Paulo Patrício (crítica no Hoje Vi(vi) um Filme), foi o grande vencedor do Prémio do Júri. O filme de animação "explora os últimos dias de Gisberta Salce Júnior, morta às mãos de um grupo de 14 jovens em 2006, mergulhando nos depoimentos daqueles que conheciam a mulher transgénero, seropositiva, sem-abrigo e toxicodependente, e contando o relato da sua morte, após ser torturada e espancada"

Nas categorias de Prémio do Público e Prémio Sub-30 (para produções de realizadores com menos de 30 anos) o vencedor foi Alcindo, de Miguel Dores (crítica no Hoje Vi(vi) um Filme), "sobre o brutal assassinato de Alcindo Monteiro, vítima de crime de ódio por parte de um grupo de etno-nacionalistas que, na madrugada de Santo António, em 1995, percorreram o Bairro Alto agredindo pessoas negras, culminando em 11 feridos graves e na trágica morte do jovem de 27 anos"

Nas três cidades onde passou, o Festival Política 2022 contou com 4000 participantes, que assistiram a diversas actividades entre cinema, espetáculos, debates, exposições, visitas guiadas e workshops. Mais informações sobre o evento em https://festivalpolitica.pt/.