sábado, 21 de maio de 2022

FICLA 2022: Programa fechado

O FICLA - Festival Internacional de Cinema e Literatura do Algarve já tem a programação fechada, com o anúncio dos filmes da Competição Oficial.

Heartbeast, de Aino Suni

Contam-se dez títulos em competição, quatro deles em estreia nacional. Aino Suni, Paz Encina, Siegfried, Trinh T. Minh-ha, Anita Rocha da Silveira, Bertrand Mandico, Camilo Restrepo, Helena Girón e Samuel M. Delgado, Inês T. Alves e Jacqueline Lentzou. Entre as presenças confirmadas no FICLA estão SiegfriedHelena GirónSamuel M. Delgado Trinh T. Minh-ha.

Além do cinema, o festival apresenta ainda várias actividades paralelas, entre elas: uma livraria, várias apresentações de livros (História do Cinema. Dos Primórdios ao Cinema Contemporâneo; Filmando com a Luz: Introdução à História do Cinema Rodado no Algarve; e Escama, Rímel, Carapaça), conversas, masterclasses, workshops - de crítica literária e de escrita de guião -, performances e concertos. 

Destaque para a conferência Filme-Ensaio com Ana Isabel Soares; a masterclass orientada pela realizadora Trinh T. Minh-ha e a conversa sobre Cinema de Guerrilha com a participação de Mirian Tavares, Fernando Leitão Correia, António Costa Valente, e moderação Duarte Baltazar.

O FICLA decorre entre os dias 2 e 11 de Junho. O programa completo e outras informações podem ser consultados em www.ficla.pt.


SELECÇÃO COMPETIÇÃO INTERNACIONAL 2022

After Blue, de Bertrand Mandico [2022]

Águas do Pastaza, de Inês T. Alves [2022]

Bengali Variation, de Siegfried [2021] (Estreia Nacional)

EAMI, de Paz Encina [2022] (Estreia Nacional)

Eles Transportan a Morte, de Helena Girón e Samuel M. Delgado [2021]

Heartbeast, de Aino Suni [2022] (Estreia Nacional)

Los Conductos, de Camilo Restrepo [2020]

Medusa, de Anita Rocha da Silveira [2021]

Moon, 66 Questions, de Jacqueline Lentzou [2020]

What About China?, Trinh T. Minh-ha [2021] (Estreia nacional)

quinta-feira, 19 de maio de 2022

Festival Guiões VIII: De 7 a 10 de Junho em Lisboa e Online

A 8.ª edição do Festival Guiões acontece entre 7 e 10 de Junho, no Cinema São Jorge, Cinemateca Portuguesa, Universidade Lusófona, em Lisboa, e também online.

A Selecção Oficial (Finalistas da Competição de Longas; Finalistas da Competição de Pilotos de Séries; e os Seleccionados PT Co-Prod / PT In-Progress) já foi anunciada e, em breve, o programa completo será divulgado. 

No dia 7 de Junho, às 15h00, haverá uma Sessão de Pitch & Encontros de Indústria, no Cinema São Jorge, que necessita de reserva de lugar. Mais informações sobre o Guiões 2022 em http://guioes.com/.


SELECÇÃO OFICIAL GUIÕES VIII

FINALISTAS - COMPETIÇÃO LONGAS

A Morte Não Existe - Bruno de Assis Peralta (Paris, FR) - Drama

Boate Paradise - Peter Klug (RJ, BR) - Comédia Dramática

Ele Está Entre Nós - Julia Fovitzky & Maria Eugenia Portolano (SP, BR) - Drama

Imigrantes - Luis Amaral (Amesterdão, NL) - Drama / Comédia

O Meu Nome é Luiza de Jesus - Rita Roberto (Lisboa, PT) - Drama / Biopic


FINALISTAS - COMPETIÇÃO PILOTOS DE SÉRIES

Amapô - Maira Cristina (BA, BR) - Comédia Dramática 

Luaty - Pedro Barbosa da Silva, Ana Lúcia Carvalho (Lisboa, PT) - Policial / Drama

Parem as Máquinas! - Plinio Uhl Vieira (SP, BR) - Drama

Pele Humana - David Bonneville (Porto, PT) - Ficção Científica

Trauma - Rafael Peixoto (RJ, BR) - Thriller / Crime

 

SELECCIONADOS PT CO-PROD / PT IN-PROGRESS

A Colmeia - Simone Iliescu, Bruno Torres (Brasília, BR) - Longa Ficção

Desassossego - Martina Rupp (Lisboa, PT) - Série Ficção

Ima - Julio Droguetti, Laura Couto (Lisboa, PT) - Longa Doc

Madrugada Suja - Filipa Sousa, Sebastião Salgado (Lisboa, PT) - Série Ficção

Não Há Espaço - Rogerio Cavalcante e Castro, Talles Reis (RJ, BR) - Longa Ficção

Ouro e Oásis - Sebastião Borges (Lisboa, PT) - Longa Ficção

Quitéria - Lara Carvalho (BA, BR) - Longa Ficção

Virgem do Sameiro - Mário Botequilha, Henrique Pina (Lisboa, PT) - Longa Ficção

Virgínia: Em Busca do Filme Perdido - Ana Sofia Pereira (Porto, PT) - Série Doc

Estreias da Semana #508

Esta Quinta-feira, chegam aos cinemas portugueses 13 novos filmes. A Viagem de Pedro e Vortex são duas das estreias.

A Cordilheira dos Sonhos (2019)
La cordillera de los sueños
No Chile, quando o sol nasce, tem de subir colinas e montes até atingir o topo da Cordilheira dos Andes. No Chile, a cordilheira é tudo. Mas para os cidadãos chilenos, é um território desconhecido. Depois de ter ido para norte, em Nostalgia da Luz, e para sul em O Botão de Nácar, Guzmán quis filmar de perto esta imensa coluna vertebral para explorar os seus mistérios, revelando poderosas informações da história do passado e do presente chileno.

A Memória de Um Assassino (2022)
Memory
Alex Lewis (Liam Neeson) é um experiente assassino conhecido pela descrição. Quando recusa completar uma missão a mando de uma organização criminosa, transforma-se num alvo e tem de perseguir aqueles que o querem matar. Os agentes do FBI, Vincent Serra (Guy Pearce) e Linda Amistead (Taj Atwal), e o agente dos serviços secretos mexicanos, Hugo Marques (Harold Torres), são chamados para investigar o rasto de corpos deixados por Alex. Tanto o FBI como o Sindicato do Crime seguem de perto o rasto do assassino, mas Alex tem as competências necessárias para estar sempre um passo à frente, excepto numa coisa: começa a sofrer de graves perdas de memória, que afectam os seus passos e tornam o seu objectivo cada vez mais difícil de cumprir. Perante isto, Alex é forçado a questionar as suas acções e em quem deve confiar.

A Odisseia dos Tontos (2019)
La odisea de los giles
Um grupo de moradores de uma aldeia perto de Buenos Aires decide depositar todas as suas economias num banco para criar uma cooperativa agrícola que, crêem eles, mudará o seu destino. Vítimas de um advogado e de um banqueiro corruptos, acabam por perder todo o dinheiro. Liderados por Perlassi (Ricardo Darín), uma lenda do futebol local, os nove incautos farão justiça pelas próprias mãos, numa noite que se tornará a mais lendária das suas vidas.

A Viagem de Pedro (2021)
Em 1831, D. Pedro deixa o Brasil independente rumo à Europa, a fim de preparar a luta contra o irmão Miguel pelo trono de Portugal, onde é tido como traidor. No meio do Atlântico, a bordo de uma fragata inglesa, misturam-se membros da corte, oficiais, criados e escravos, numa babel de línguas e de posições sociais. Pedro tenta reunir forças para a guerra fratricida que se aproxima, mas a doença e o medo da morte lançam-no numa espiral de delírios. Revive diversos momentos da sua vida, a infância, o casamento com Leopoldina, o romance com Domitila de Castro e imagina discussões com o irmão. Partindo de uma lacuna nos relatos históricos, Laís Bodanzky imagina esta viagem num ousado exercício de encenação histórica.

Ainbo: Espírito da Amazónia (2021)
Ainbo: Spirit of the Amazon
A épica viagem de uma jovem heroína e dos seus Guias Espirituais, Dillo um tatu engraçado e bem-humorado, e Vaca uma anta gigantesca e pateta, que embarcam numa jornada a fim de salvarem a sua casa na floresta amazónica.

Delicioso (2021)
Délicieux
França, 1789, pouco antes da Revolução. O prestígio de uma casa nobre depende também da qualidade da sua mesa e a gastronomia continua a ser uma prerrogativa dos aristocratas. Pierre Manceron, ousado mas orgulhoso cozinheiro, é dispensado pelo Duque de Chamfort, e perde o gosto pela cozinha. Regressado à sua casa de campo, o encontro com a misteriosa Louise, que deseja aprender a arte culinária ao seu lado, devolve-lhe a autoconfiança e impele-o a emancipar-se da condição de servo para empreender a sua própria revolução. Ambos alimentam um desejo de vingança contra o Duque e inventam um lugar de prazer e partilha aberto a todos: o primeiro restaurante. Uma ideia que lhes valerá clientes... e inimigos.

Eiffel (2021)
Após terminar o seu trabalho na Estátua da Liberdade, Gustave Eiffel estava no auge da carreira. O governo francês pede-lhe que crie algo espectacular para a Exposição Universal de 1889, em Paris. Eiffel prefere concentrar-se no projecto do metropolitano. Tudo muda quando reencontra um antigo amor de infância e a relação proibida o inspira a mudar para sempre a linha do horizonte de Paris.

Jujutsu Kaisen 0 (2021)
Gekijouban Jujutsu Kaisen 0
Yuta Okkotsu é um nervoso estudante do ensino secundário que sofre de um problema grave - é assombrado pela sua amiga de infância Rika que não o deixa em paz. Como Rika não é uma maldição vulgar, a situação é notada por Satoru Gojo, professor no Colégio Jujutsu em Tóquio, uma escola onde exorcistas aprendem a combater maldições. Gojo convence Yuta a inscrever-se, mas poderá ele aprender o suficiente a tempo de enfrentar a maldição que o assombra?

Meu Filho (2021)
My Son
Enquanto conduz no coração das Terras Altas da Escócia, Edmond Murray recebe uma chamada da ex-mulher, em lágrimas. O seu filho de sete anos desapareceu de um acampamento. Torna-se claro que a criança foi raptada e os pais cedem ao desespero.

O Rei dos Belgas (2016)
King of the Belgians
Desesperado por voltar a casa depois de uma visita de estado a Istambul, quando o seu país vive a sua pior crise política de sempre, mas na impossibilidade de apanhar um voo devido a uma tempestade solar, o Rei dos Belgas encontra-se no meio de uma viagem de carro tumultuosa através dos Balcãs. 

Paris 13 (2021)
Les Olympiades
Paris, 13.º Arrondissement. Emilie, uma jovem que salta de trabalho em trabalho, precisa de um inquilino para dividir casa e conhece Camille, professor e doutorando, com quem inicia uma relação casual. Por sua vez, Camille sente-se atraído por Nora, colega de trabalho que desiste de acabar o curso após ser confundida com Amber, uma conhecida camgirl com quem irá desenvolver uma forte ligação. Amigos, às vezes amantes e muitas vezes ambos, estes jovens redefinem a noção de amor moderno.

Sentimental (2020)
Julio e Ana estão juntos há mais de 15 anos. Tornaram-se um casal que já não se olha nem toca e que faz da luta diária a essência da sua relação. Esta noite, Ana convidou os seus vizinhos de cima, Salva e Laura, um casal mais novo, amigável, mas cujos ruídos são agora um aborrecimento para Julio e Ana... ou talvez um estímulo? Os vizinhos de cima farão uma proposta invulgar e surpreendente que transformará a noite numa experiência exagerada e catártica para todos.

Vortex (2022)
Os derradeiros dias de um casal que sofre de demência.

quarta-feira, 18 de maio de 2022

FICLA 2022 apresenta programa temático dedicado ao corpo feminino

O FICLA - Festival Internacional de Cinema e Literatura do Algarve 2022 revelou o programa do Ciclo Corpos - I am rooted, but I flow, dedicado ao corpo feminino. 

Fish Tank, Andrea Arnold

Este ciclo temático apresentará uma selecção de 11 filmes de realizadoras como Agnès Varda, Chantal Akerman, Céline Sciamma, Lynne Ramsay, entre outras. A maioria dos filmes do ciclo será exibida ao ar livre nos claustros do Museu Municipal de Faro. Trata-se de "uma selecção que parte da noção central da experiência, no sentido do lugar de enunciação destas realizadoras num certo período de tempo, e que quer ser um lugar para o surgimento de um novo leque de questões sobre o lugar primário que o corpo ocupa, enquanto espaço de inscrições sociais, políticas, culturais e geográficas", explica o festival em comunicado. 

Integrados neste programa estão ainda as apresentações dos espetáculos MB#6 2008 e 2018 de M̶i̶g̶u̶e̶l̶ Bonneville, assim como a apresentação do livro O Pessoal é Político, de Maria Gil e M̶i̶g̶u̶e̶l̶ Bonneville.

O FICLA acontece de 2 a 11 de Junho em Faro, com uma vasta programação de cinema, conversas, masterclasses e outras iniciativas que fazem a relação entre a escrita e a sétima arte. Mais informações em www.ficla.pt.


PROGRAMA CORPOS - I AM ROOTED, BUT I FLOW

Fat Girl, Catherine Breillat [2001]

Fish Tank, Andrea Arnold [2009]

Girlhood, Céline Sciamma [2014]

Letters Home, Chantal Akerman [1986] 

Morvern Callar, Lynne Ramsay [2002] 

Mrs Dalloway, Marlen Gorris [1998]

My Little Princess, Eva Ionesco [2011]

One Sings, the Other Doesn't, Agnès Varda [1977] 

Orlando, Sally Porter [1992]

Rebel Dykes, Harri Shanahan e Siân A. Williams [2021]

White Material, Claire Denis [2010]

segunda-feira, 16 de maio de 2022

Crítica: The Batman (2022)

"From your secret friend / Who? Haven't a clue / Let's play a game / Just me and you."

The Riddler

*6.5/10*

Matt Reeves trouxe um novo Batman aos cinemas, assumindo o risco de reescrever a história de uma personagem já inúmeras vezes retratada nos ecrãs. A surpreendente escolha de Robert Pattinson para o papel principal deu que falar e aumentou a curiosidade em torno de um filme que não era fundamental, mas foi capaz de revelar mais uma faceta do actor e de um realizador ainda com muitas cartas para dar.

"Há dois anos a assombrar as ruas como Batman (Robert Pattinson), incutindo medo no coração dos criminosos, Bruce Wayne foi forçado a mergulhar nas zonas mais sombrias da Cidade de Gotham. Com apenas alguns aliados de confiança - Alfred Pennyworth (Andy Serkis) e o tenente James Gordon (Jeffrey Wright) – entre a rede corrupta de funcionários e figuras proeminentes da cidade, o vigilante solitário estabeleceu-se como a personificação da vingança entre os seus cidadãos. Quando um assassino ataca a elite de Gotham com uma série de máquinas sádicas, um rasto de pistas misteriosas e obscuras levam o 'Maior Detetive do Mundo' a investigar o submundo, onde encontra personagens como Selina Kyle/Catwoman (Zoë Kravitz), Oswald Cobblepot/The Penguin (Colin Farrell), Carmine Falcone (John Turturro) e Edward Nashton/The Riddler (Paul Dano)".

Se por um lado, The Batman peca pelo excesso de personagens - Carmine Falcone, The PenguinThe Riddler e até um vislumbre de Joker - e enredos, que resultam num filme de quase três horas, por outro, há um grande enfoque no passado do protagonista e de Selina Kyle. A partilha da história familiar de cada um e as descobertas que ambos vão fazendo, tornam-nos mais humanos e próximos da plateia. Contrariamente, os vilões são mal explorados, bem como as suas motivações e passado.


Há bons momentos de acção - como uma perseguição de tirar o fôlego - e alguns planos e sequências impactantes, que sugerem a qualidade de Matt Reeves enquanto realizador - claramente condicionada pelo filme de grande orçamento. A opção da narração na primeira pessoa que é feita ao longo de todo o filme começa por estranhar-se, mas vai-se tornando mais natural com o decorrer da acção - ainda assim, ganharia muito se fosse  menos presente.

Destaque para a interpretação de Paul Dano que com pouco é capaz de tanto na pele do macabro Riddler. Também Robert Pattinson e Zoë Kravitz, que formam um par com muita química no ecrã, fazem uma positiva reconstrução das suas personagens, ambas marcadas pelo desgosto e pelo desejo de justiça.


No ambiente de crime e desconfiança de uma Gotham ainda mais obscura que o habitual, Matt Reeves acompanha The Batman, enquanto persegue criminosos e é ele mesmo perseguido pelo seu passado tormentoso. Eis mais uma investida cinematográfica no mundo do Cavaleiro das Trevas para experienciar.

domingo, 15 de maio de 2022

Sugestão da Semana #507

Das estreias da passada Quinta-feira, a Sugestão da Semana destaca o documentário This Much I Know to Be True, de Andrew Dominik, sobre a relação criativa entre Nick Cave Warren Ellis.

THIS MUCH I KNOW TO BE TRUE


Ficha Técnica:
Título Original: This Much I Know to Be True
Realizador: Andrew Dominik
Elenco: Nick Cave, Warren EllisEarl Cave, Andrew DominikMarianne Faithfull
Género: Documentário, Música
Classificação: M/16
Duração: 105 minutos