Hoje vi(vi) um filme: Estreias da Semana #186

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Estreias da Semana #186

Seis filmes chegaram aos cinemas portugueses na passada Quinta-feira. O mais recente filme de Woody Allen, Homem Irracional, e o primeiro de Ryan Gosling como realizador, Rio Perdido, estão entre os títulos estreantes.

Homem Irracional (2015)
Irrational Man
Woody Allen traz desta vez um filme sobre um professor universitário de filosofia que está a viver uma crise existencial. Contudo, a mesma começa a atenuar-se quando se relaciona com uma jovem aluna.

Masaan (2015)
Benares, cidade santa mas margens do rio Ganges, castiga cruelmente aqueles que brincam com as tradições morais. Deepak, um jovem oriundo dos bairros pobres, apaixona-se perdidamente por uma mulher que não pertence à mesma casta. Devi, uma estudante perdida, vive torturada por um sentimento de culpa após o desaparecimento do primeiro amante. Pathak, pai de Devi, vítima da corrupção policial, perde o seu sentido moral em troca de dinheiro, e Jhonta é um jovem que procura uma família. Todos são personagens em busca de um futuro melhor, divididos entre o turbilhão da modernidade e a fidelidade às tradições, e cujos caminhos, em breve, se cruzarão.

Maze Runner: Provas de Fogo (2015)
Maze Runner: The Scorch Trials
Thomas (Dylan O’Brien) e os seus companheiros Clareirenses vão enfrentar o maior desafio até agora: a procura de pistas sobre a misteriosa e poderosa organização conhecida como CRUEL. A viagem leva-os até à Terra Queimada, uma desolada paisagem cheia de obstáculos inimagináveis. Juntando-se aos combatentes da resistência, os Clareirenses vão enfrentar as forças superiores da CRUEL e descobrir o final que os espera.

O Rio Perdido (2014)
Lost River
Billy (Christina Hendricks), uma mãe solteira de dois filhos, quer ficar onde está mas precisa urgentemente de arranjar dinheiro para manter a casa de família e assim aceita a proposta de uma discoteca decadente, onde conhece a misteriosa Cat (Eva Mendes). Mas, sem saber, acaba por colocar a sua vida e a da família em perigo. Com o filho mais velho, Bones (Iain de Caestecker), a aceitar esta situação com violência, a única réstia de esperança para uma nova vida parece surgir quando Bones descobre uma misteriosa estrada secreta no meio de um rio que conduz a uma cidade debaixo de água.

O Rosto da Inocência (2014)
The Face of an Angel
Thomas Lang (Daniel Brühl) é um realizador a quem é proposto que adapte um livro da jornalista americana Simone Ford (Kate Beckinsale), que relata o julgamento controverso da estudante americana Jessica Fuller pelo homicídio da sua colega de quarto Elizabeth Pryce. Para o ajudar na investigação, Simone leva Thomas a Siena. Depois de visitar o local do crime, Thomas, que está separado da mulher e da filha, começa a questionar não só as motivações dos que o rodeiam, dos patrocinadores do filme à equipa de jornalistas, mas também as suas próprias motivações. Ao afundar-se no seu próprio tormento, Thomas é salvo pela amizade entretanto estabelecida com uma jovem e inocente estudante britânica, Melanie (Cara Delevingne).

Sem Saída (2015)
No Escape
Sem Saída centra-se na fuga de um empresário americano, quando ele e a sua família se estabelecem no sudeste da Ásia. De repente, encontrando-se no meio de uma violenta revolta política, têm que procurar um local seguro enquanto rebeldes atacam impiedosamente a cidade.

2 comentários:

Os Filmes de Frederico Daniel disse...

"Maze Runner: Provas de Fogo":

Adorei o filme que está repleto de ação, aventura e adrenalina.
Apesar de o enredo estar diferente ao do livro gostei do que fizeram, pois a essência está lá.
5*
Cumprimentos cinéfilos, Frederico Daniel...

Os Filmes de Frederico Daniel disse...

"O Rio Perdido": 2*

"O Rio Perdido" é outra das estreias e este filme a meu ver tem uma agradável realização de Ryan Gosling, mas é apenas e só um filme razoável com uma história algo aborrecida e desinteressante.
"Lost River" peca por ser muito maçador e deveria ter sido mais pequeno, logo este filme estreado em Portugal a 17 de setembro é apenas razoável.

Cumprimentos, Frederico Daniel.