Hoje vi(vi) um filme: MOTELx'15: A Caçada do Malhadeiro, de Quirino Simões (1967)

sábado, 19 de setembro de 2015

MOTELx'15: A Caçada do Malhadeiro, de Quirino Simões (1967)

*6/10*


A secção Quarto Perdido do MOTELx é sempre das que suscitam mais curiosidade aqui pelo Hoje Vi(vi) um Filme. A Caçada do Malhadeiro, de Quirino Simões, que data de 1967, foi a descoberta desta edição. A vingança percorre todo o enredo deste filme de época que tem as invasões francesas como marco temporal. No elenco, encontramos um jovem Rui Mendes e Vítor Gomes - no auge da sua carreira -, que marcou presença na sessão.

Em 1810, depois de serem escorraçados do Buçaco, cinco soldados franceses do exército de Massena, em busca de mantimentos, assaltam o lar duma modesta família, roubam e violam a filha, uma menina de 13 anos. O pai, o malhadeiro José, e o filho juram vingar-se, perseguindo os foragidos antes que cheguem à fronteira. A estreia de Quirino Simões na ficção adapta um conto homónimo do Conde de Ficalho. A vingança do malhadeiro esconde um subtexto patriótico: “a reacção dos portugueses à violação dos seus direitos, dos seus usos, da sua terra ou da sua família.”

A Caçada do Malhadeiro deixa-nos num clima de tensão, seguindo a perseguição sem clemência, para que se faça justiça. José está obcecado e é o filho, Joaquim, que lhe serve, de alguma forma, de juiz, mais ponderado. Os cenários entre a floresta, propícia ao esconderijo e a praia, mesmo ali ao lado, são outro dos pontos fortes desta longa-metragem, pouco comum no cinema nacional.

Há perto de 50 anos que este filme não era exibido publicamente, e vale a pena redescobri-lo. Para tal, nada melhor do que a cópia restaurada propositadamente pela Cinemateca Portuguesa para o MOTELx para corrigir essa falha.

Sem comentários: