Hoje vi(vi) um filme: Judaica'16: Filmes Proibidos / Verbotene Filme (2014)

domingo, 20 de março de 2016

Judaica'16: Filmes Proibidos / Verbotene Filme (2014)

*7/10*

Quem não tem curiosidade sobre um tema como o que Filmes Proibidos explora? Eu tenho e as minhas expectativas para este documentário eram altas. Felix Moeller veio à Judaica apresentar a sua obra que exigiu um enorme trabalho de pesquisa e alcançou descobertas bastante curiosas. Houve ainda tempo para uma sessão de perguntas e respostas no final da sessão.


São cerca de 40 os filmes de propaganda nazi, feitos durante o III Reich, que continuam com exibição proibida na Alemanha. As únicas excepções são os visionamentos públicos devidamente enquadrados num contexto educativo. Com recurso a excertos de algumas dessas obras e a entrevistas feitas a historiadores, sociólogos, arquivistas e cinéfilos, o realizador questiona até que ponto a propaganda nazi e antissemita ainda é eficaz e se fará ainda sentido proibir a exibição destes filmes.

Filmes Proibidos lança, desde logo, uma temática controversa, quer para alemães como para todas as outras nacionalidades. Os filmes-propaganda podem, à primeira vista, parecer inofensivos, quase inocentes, mas à luz da História, conhece-se bem as consequências para as quais contribuíram. O documentário de Moeller apresenta-nos ainda algumas curiosidades: um dos temas abordados num destes filmes é a eutanásia - temática ainda hoje tão polémica.


Que o contexto em que são exibidos possa fazer toda a diferença, quase todos parecem de acordo. Mas Filmes Proibidos mostra-nos os mais distintos pontos de vista, desde historiadores, a estudantes, passando mesmo por ex-neo-nazis, alguns com comentários muito pertinentes.

Apesar de se tornar um pouco longo de mais para o que apresenta, o documentário de Felix Moeller dá a conhecer um dos segredos ainda bem guardados da História alemã - o cinema como forma de persuasão e propaganda e suas consequências. Ainda assim, sente-se a falta de um pouco mais de confronto de opiniões e de visões que não se limitassem apenas a estes filmes

Sem comentários: