Hoje vi(vi) um filme: Iniciativas de Bloggers: "Um Filme, Uma Mulher": Cindy, Blue Valentine

domingo, 2 de junho de 2013

Iniciativas de Bloggers: "Um Filme, Uma Mulher": Cindy, Blue Valentine

A propósito do convite para participar na iniciativa Um Filme, Uma Mulher no blog Girl on Film, aqui vos deixo a minha escolha. O post original pode ser visto AQUI.

Um filme: Blue Valentine
Uma Mulher: Cindy

Michelle Williams vestiu a pele desta protagonista forte e marcante. A minha escolha recai sobre ela pelo realismo que encarna, pela crueza e mágoa que simboliza. Cindy é, desde jovem, uma mulher marcada e magoada pela desunião (e desilusão) familiar, onde a única pessoa por quem nutre afecto e proximidade é a sua avó. 

É dela que recolhe conselhos, valores e amizade. Dos seus pais apenas assimila discussões, sofrimento. O amor, esse, procura-o fora de casa em relações fugazes e pouco sentidas. 


Até encontrar o outro protagonista - Dean - um homem que realmente a ama e tudo faz por ela, tão diferente de si e, ao mesmo tempo, tudo aquilo que ela precisa. Até ali desacreditada de relações duradouras, é Dean quem lhe oferece a possibilidade de contrariar esse preconceito.


Deparando-se - spoilers, cuidado - com uma gravidez inesperada, fruto de um relacionamento anterior, Cindy toma a decisão de abortar mas, no momento em que o tenta realizar, desiste por tão doloroso ser para si, tanto física como psicologicamente. Dean, por seu lado, está sempre consigo, e dá-lhe ali uma das maiores provas de amor.


Os momentos felizes vão, com os anos, transformando-se em monotonia, e a tristeza do passado regressa a Cindy. Ao contrário do marido, ela parece nada fazer para que a situação melhore - os momentos no quarto do motel são um arrepiante exemplo disto. Cindy faz-nos crer que nem sequer tem amor por si própria, que o seu corpo funciona como um simples objecto.



A dor que encarna em especial nas últimas cenas de Blue Valentine (cuidado com mais spoilers),é um dos melhores exemplos do realismo arrepiante desta personagem.



Todas estas razões, aliadas à entrega física e psicológica que a personagem exige, fizeram com que a minha escolha recaísse sobre ela. Poucas personagens e filmes nos tocam tão fundo e tão próximo como Blue Valentine, um inesquecível drama que podia acontecer mesmo ao nosso lado.


Quero agradecer à Sofia e ao Girl on Film pelo convite e dar os parabéns por esta iniciativa tão feminina.

2 comentários:

Sam disse...

Parabéns por este excelente contributo para a iniciativa.

Partilho contigo a opinião de que as personagens de BLUE VALENTINE são como o filme: de um sincero, desconfortante e quase atroz realismo.

A vida de Cindy é mesmo como a existência de muitas mulheres no "nosso mundo".

Cumps cinéfilos :*

Inês Moreira Santos disse...

Muito obrigada, Sam.
É verdade. Filme e personagens conquistam-nos mesmo por serem tão realistas e de uma crueza arrepiante.

Cumprimentos cinéfilos :*