sexta-feira, 24 de Outubro de 2014

Doclisboa'14: Lisbon Revisited (2014)

*7/10*

Edgar Pêra trouxe à Competição Internacional de Longas-metragens do Doclisboa o seu Lisbon Revisited, um título que nos conduz numa viagem a Lisboa, através dos olhos do realizador e das palavras de Fernando Pessoa.


A capital surge-nos irreconhecível - ainda distinguimos o Aqueduto das Águas Livres, as torres das Amoreiras ou a Sé, por exemplo -, com cores diferentes daquelas a que nos habituamos a ver. A visita a Lisboa é acompanhada por narrações de textos de Fernando Pessoa, que parecem ter sido escritos para a maioria das imagens que vemos, ele e os seus heterónimos são o nosso guia.

O estilo de Edgar Pêra está, pois claro, bem vincado, apesar de ser francamente mais experimental do que o habitual. Mas continuam aqui os jogos de som, com distorção de vozes, e os jogos de cor, sobreposição de imagens e uma espécie de atordoamento da plateia. O realizador parece rendido ao 3D, que tem momentos muito interessantes.

quinta-feira, 23 de Outubro de 2014

Doclisboa'14: Tourisme International (2014)

*8/10*

Tourisme International, de Marie Voignier, faz parte da Competição Internacional de Curtas do Doclisboa'14 e o seu potencial é imenso. A realizadora pretende mostrar-nos como é apresentada aos turistas a ditadura da Coreia do Norte. Provocadora, a realizadora apresenta-nos o que viu na sua viagem ao país mas de uma forma muito peculiar.


Vemos as imagens, ouvimos o som ambiente, mas nunca ouvimos as vozes da guias turísticas, do professor e de quem mais nos fala do país. As explicações são-nos transmitidas pela realizadora, através de intertítulos - qual filme mudo.

Conhecemos as pinturas, os heróis de guerra, o parque de diversões, os monumentos, o feriado nacional, os estúdios de cinema, o Museu das Atrocidades Americanas (qual não será o espanto dos turistas que se deparam com uma versão da História algo diferente da que conhecem), uma fábrica de produtos químicos... mas nunca ouvimos as vozes de quem nos acompanha, numa original e arriscada personificação da ditadura do país que aqui visitamos.

quarta-feira, 22 de Outubro de 2014

Doclisboa'14: L'amore in città (1953)

*7.5/10*

L’Amore in Città é composto por seis segmentos realizados por sete cineastas (Cesare Zavattini, Michelangelo Antonioni, Federico Fellini, Dino Risi, Francesco Maselli, Alberto Lattuada Carlo Lizzani) e faz parte da Retrospectiva Neo-Realismo e Novos Realismos do Doclisboa'14.


Umas mais divertidas, outras mais tristes, L'Amore in Città reúne estas seis historias relativamente realistas sobre o amor na cidade. Amore che si paga, de Carlo Lizzani, é o primeiro segmento a que assistimos sobre as prostitutas de Roma. Segue-se Tentato Suicidio, de Michelangelo Antonioni, que acompanha, como o nome indica, personagens que tentaram o suicídio e parecem ter perdido o encanto na vida. Paradiso per Tre Ore, de Dino Risi, é um divertido segmento que nos vai pôr a dançar. Agenzia Matrimoniale, de Federico Fellini, é talvez o mais fraco de L'Amore in Città, acompanhando uma banal história de um homem que recorre a uma Agência Matrimonial. Storia di Caterina, de Cesare Zavattini e Umberto Maselli, é, por sua vez, o segmento mais forte e bem conseguido dos seis, retratando a história verídica da actriz principal, Caterina Rigoglioso, que se viu obrigada a abandonar o seu filho por amor ao mesmo. Storia di Caterina é extremamente emotivo e sincero, feito de pormenores que enriquecem o todo. A finalizar está o divertido Gli Italiani se voltano, de Alberto Lattuada, que destaca as mulheres jovens e bonitas da cidade e fará soltar gargalhadas à plateia, apesar da sua duração o tornar um pouco repetitivo.

A antologia L'Amore in Città é um curioso registo que reúne grandes nomes do cinema italiano e depois da exibição do passado Sábado no Cinema São Jorge, repete amanhã, 23 de Outubro, na Cinemateca Portuguesa, às 15h30.

Doclisboa'14: Respite, de Harun Farocki

*7/10*

Na secção O nosso Século XX - O Cinema face à História do Doclisboa'14, encontramos a curta-metragem de 2007, Respite, de Harun Farocki. O cineasta, recentemente falecido, oferece-nos um documento histórico, a partir de imagens filmadas em Westerbork, um campo de refugiados holandês criado em 1939 para os judeus em fuga da Alemanha. Após a ocupação da Holanda, tornou-se um “campo de trânsito”. Dali os judeus eram enviados para campos de concentração nazis e a grande maioria deles eram executados. Em 1944, o comandante do campo, Albert Gemmeker, encomendou um filme, rodado pelo fotógrafo Rudolph Beslauer, também ele judeu ali prisioneiro, que nunca chegou a ficar completo.


Respite é um filme mudo e começa por mostrar fotos do local na época, seguindo-se as filmagens de Beslauer, em 16mm. As imagens são intercaladas com intertítulos explicativos e um tanto sarcásticos, com uma forte crítica a tudo o que ali se passava e se queria mostrar. As imagens que vemos estão longe da realidade dos campos de concentração. Aqui (assim nos mostram estas imagens) os prisioneiros trabalhavam - como dentistas ou investigadores científicos, por exemplo - divertiam-se, dançavam, jogavam, tocavam instrumentos... Como lemos no filme: "We expect different images from a nazi-german camp". A incredulidade do espectador será a mesma. Mas o certo é que Westerbork era apenas um campo de trânsito. O pior estava para vir e encontrava simbolismo no comboio que partia todas as Terças-feiras.

Respite passa no dia 24 de Outubro, às 19h30, na Culturgest e no dia 25 no Cinema São Jorge, pelas 18h45.

Doclisboa'14: Traces, de Wang Bing

*6.5/10*

Com Traces (que faz parte da secção Riscos), Wang Bing traz-nos um documentário sem falas, onde apenas ouvimos o som dos passos do realizador que vagueia pelo deserto de Gobi numa jornada que serve como um registo histórico arrepiante. Quando preparava o filme Jiabiangou (A Fossa), o realizador deslocou-se àquele deserto, aos lugares exactos onde viveram e morreram milhares de pessoas nos campos de “reeducação pelo trabalho” montados pelo regime comunista, no final dos anos 50 do século passado. 


Wang Bing filmou cenas de deserto, onde abundam ossos abandonados, restos de tecidos e outros objectos que ali ficaram. Ao seguir os passos do realizador, o público ficará inevitavelmente atordoado, explorando os terrenos desertos e as grutas.

Filmado com uma câmara de 35 mm, o preto e branco e o grão da película parecem querer remeter-nos para o passado doloroso daqueles campos, ainda tão presente, que o realizador agora desenterra. Eis a prova do crime, apresentada mais de um século depois.

Traces repete no dia 26 de Outubro, pelas 19h45, no Cinema Ideal.

terça-feira, 21 de Outubro de 2014

LEFFEST'14: Programa e convidados anunciados

Antestreias muito aguardadas e convidados de peso é o que nos traz a 8ª edição do Lisbon & Estoril Film Festival (LEFFEST), cuja programação foi hoje anunciada em Conferência de Imprensa no Centro Cultural de Belém. O festival acontece entre 7 e 16 de Novembro e divide-se entre o Cinema Medeia Monumental, Espaço Nimas, Fundação Calouste Gulbenkian, Cinemateca Portuguesa, Centro de Congressos do Estoril e Casino Estoril.


Saint Laurent, de Bertrand Bonello, e Winter Sleep (Palma de Ouro e Prémio FIPRESCI em Cannes), de Nuri Bilge Ceylan, farão as honras de abertura. Os filmes de encerramento desta edição serão Mommy (vencedor do Prémio do Júri do Festival de Cannes), de Xavier Dolan, e Dumb and Dumber To, de Peter Bobby Farrelly. Os homenageados este ano serão John Malkovich e a portuguesa Maria de Medeiros.

Maps to the Stars, de David Cronenberg, Pasolini, de Abel Ferrara, Mr. Turner, de Mike Leigh, Deux Jours, Une Nuit, dos irmãos Dardenne, As Maravilhas, de Alice Rohrwacher, Duran Duran: Unstaged, de David Lynch, Variações de Casanova, de Michael Sturminger, ou The Postman's White Nights, de Andrey Konchalovsky são outros títulos muito esperados pelo público que terão antestreia no LEFFEST, fora de competição. Em Competição estarão 12 filmes de realizadores como Bruno Dumont, Christian Petzold, Hong Sang-soo e John Boorman. Haverá ainda, e como de costume, uma competição de curtas-metragens que junta trabalhos de escolas de cinema europeias.


Haverá ainda espaço para retrospectivas de Andrzej ZulawskiGonzalo García PelayoKléber Mendonça FilhoMarlen KhutsievPhilippe Garrel e Tariq Téguia.

Nos convidados, a lista é muito extensa e aglomera personalidades de áreas muito distintas. Encontramos os realizadores Abel Ferrara, Bertrand Bonello, Jean-Pierre e Luc Dardenne, Marlen Khutsiev, Philippe Garrel ou Stephen Frears, por exemplo. Nos actores - e para além dos homenageados -, destaque para Sabine Azéma, Nina Hoss, Willem Dafoe, Gaspard Ulliel, Victoria Guerra, entre outros. Mas não só de cinema vive o LEFFESTDimitris Dimitriádis, Peter Handke, John Berger, Edgar Morin e Dulce Maria Cardoso são alguns dos escritores que marcarão presença no festival. Outras personalidades que também não vão faltar são, por exemplo, o pianista Piotr Anderszewski, Arto Lindsay & BandDominique Gonzalez-Foerster, Julião Sarmento, alguns nomes ligados à moda - a propósito da projecção de Saint Laurent -, Felipe Oliveira BaptistaBella FreudEmanuel Ungaro, e muitos outros.

O Lisbon & Estoril Film Festival traz consigo muitos outros títulos nas secções Cinemart, Cinema e Moda (também a propósito do Filme de Abertura de Bertrand Bonello), Cinema e Matemática, algumas Sessões Especiais, Séries de TV - que apresentará diversas séries e telefilmes de Roberto Rosselini, e algumas novidades recentes -, bem como masterclasses, Leituras, Teatro - com a peça Os Belos Dias de Aranjuez, de Peter Handke, com encenação de Tiago Guedes e interpretações de Isabel Abreu e João Pedro Vaz (os três também presentes na conferência de imprensa) -, exposições, um concerto de Arto Lindsay & Band e o Simpósio Internacional Ficção e Realidade: Para Além do Big Brother, que tem igualmente um ciclo de cinema associado. Julian Assange e Noam Chomsky têm uma participação especial no LEFFEST e, não marcando presença física, terão uma intervenção vídeo.

O LEFFEST assinala a estreia mundial da exposição de Sandro Miller, Malkovich, Malkovich: Homage To Photographic Masters, em simultâneo com Chicago, que poderá ser visitada no Centro de Congressos do Estoril.


Na conferência de imprensa estiveram presentes o director do festival, Paulo Branco, o Presidente da Câmara de Cascais, Carlos Carreiras, e Fernando Medina, Vice-Presidente da Câmara de Lisboa. A homenageada Maria de Medeiros também não faltou.

Mais informações sobre o Lisbon & Estoril Film Festival podem ser encontradas aqui.

Doclisboa'14: Gangster Backstage + Vous qui gardez un Coeur qui bat

Gangster Backstage e Vous qui gardez un Coeur qui bat passaram pelo Doclisboa no passado Domingo, dia 19 de Outubro, e fazem parte da Competição Internacional de Curtas-metragens. A mesma sessão repete esta Terça-feira, dia 21, no Grande Auditório da Culturgest, pelas 16h30.

Gangster Backstage - 7/10


Durante uma sessão de casting na África do Sul, o realizador Teboho Edkins pede a criminosos verdadeiros para subirem ao palco e interpretarem a sua vida quotidiana. O espectador assiste a conversas com estes gangsters e a uma introspecção interpretativa - ao estilo de The Act of Killing mas numa escala menor.

Conhecemos alguns dos seus crimes, os dias passados na prisão, o medo da morte - que parece dominar-lhes os pensamentos - e a preocupação com a família. Parecem todos estar cientes do que fazem e das consequências que tais actos podem acarretar. Teboho Edkins traz-nos um interessante retrato destes homens e mulheres e faz reflectir - ao público e aos gangsters.

Vous qui gardez un Coeur qui bat - 7/10


Antoine Chaudagne e Sylvain Verdet levam-nos a viajar ao gelado leste da Ucrânia, onde acompanhamos um grupo de mineiros. Depois do duro trabalho na mina, estes homens reúnem-se para beber vodka, enquanto conversam acerca da morte de um camarada num acidente. Entre eles está Slava, de 30 anos, que sonha escapar da sua aldeia, para começar uma nova vida com uma jovem mulher que conheceu na Internet.

Seguimos de perto Slava, o seu dia-a-dia numa terra com muito pouco para fazer e onde a mina parece ser a única possibilidade de trabalho, mesmo sem ver asseguradas as condições de segurança. O jovem mineiro sonha juntar-se à namorada - que conhecemos através dos telefonemas entre os dois ao longo do documentário -, numa cidade mais quente e junto ao mar.

Vous qui gardez un Coeur qui bat é um retrato de quem vive com medo e se alimenta de esperança, numa Ucrânia anterior aos conflitos recentes.

segunda-feira, 20 de Outubro de 2014

Sugestão da Semana #138

Das estreias da passada Quinta-feira, a Sugestão da Semana poderia recair em qualquer um dos títulos estreados. No entanto, a escolha desta semana vai para o filme de terror, O Senhor Babadook, que passou pelo Festival MOTELx antes de chegar ao circuito comercial de cinema.

O SENHOR BABADOOK


Ficha Técnica:
Título Original: Babadook
Realizadora: Jennifer Kent
Actores: Essie Davis, Daniel Henshall, Tiffany Lyndall-Knight
Género: Drama, Terror, Thriller
Classificação: M/16
Duração: 93 minutos