sábado, 28 de março de 2015

Primeiro teaser trailer de Spectre

Eis o primeiro teaser trailer de Spectre, o próximo filme de James Bond, novamente realizado por Sam Mendes e protagonizado por Daniel Craig.

quarta-feira, 25 de março de 2015

Momentos para Recordar #36

O Momentos para Recordar está de volta e traz consigo Orson Welles, Charlton Heston e Janet Leigh. O destaque aqui vai para o fabuloso plano-sequência inicial deste A Sede do Mal, mas o filme não deixa de ser um aviso para Leigh ter cuidado com os motéis onde entra... ou não viesse Psico dois anos depois...

A Sede do Mal (Touch of Evil), Orson Welles (1958)

terça-feira, 24 de março de 2015

8 ½ Festa do Cinema Italiano'15 começa esta Quarta-feira em Lisboa

8 ½ Festa do Cinema Italiano está de regresso a Lisboa já amanhã, 25 de Março, e prolonga-se até dia 2 de Abril. A abrir esta 8.ª edição estará o filme O País das Maravilhas (Le meraviglie), Grande Prémio do Júri no Festival de Cannes, numa sessão que conta com a presença da realizadora Alice Rohrwacher. A encerrar a festa estará O Rapaz Invisível (Il ragazzo invisibile), de Gabriele Salvatores.


Em destaque nesta edição, encontramos filmes como Corações Inquietos (Hungry Hearts), de Saverio Costanzo, ou Que Estranho Chamar-se Federico (Che strano chiamarsi Federico), de Ettore Scola. Por outro lado, temos Gomorra, a nova série de televisão italiana de culto, baseada no bestseller de Roberto Saviano, que será exibida na sua versão integral nesta Festa do Cinema Italiano e, posteriormente, na RTP2.

Na secção Amarcord poderemos visitar clássicos em cópias restauradas, como Era uma vez na América (versão Director's Cut), de Sergio Leone, ou Cinema Paraíso, de Giuseppe Tornatore.

Em competição, encontramos títulos como Incompresa, de Asia Argento, Idade à Flor da Pele, de Duccio Chiarini e Più Buio di Mezzanotte, de Sebastiano Riso, entre muitos outros.

Como de costume, os espectadores poderão aprender italiano com as aulas Italiano per Principianti e há lugar também para o sempre saboroso Cine-Jantar, este ano com Roma, de Federico Fellini a acompanhar a refeição.

A programação completa e outras informações do 8 ½ Festa do Cinema Italiano podem encontrar-se aqui.

segunda-feira, 23 de março de 2015

Sugestão da Semana #160

Das estreias da passada Quinta-feira, a Sugestão da Semana destaca o último filme de Hayao Miyazaki, As Asas do Vento.

AS ASAS DO VENTO


Ficha Técnica:
Título Original: Kaze tachinu
Realizador: Hayao Miyazaki
Actores: Hideaki Anno, Hidetoshi Nishijima, Miori Takimoto
Género: Animação, Biografia, Drama
Classificação: M/12
Duração: 126 minutos

sexta-feira, 20 de março de 2015

Estreias da Semana #160

Chegaram esta Quinta-feira aos cinemas portugueses seis novos filmes. As Asas do Vento, Cake - Um Sopro de Vida, Cinderela e Insurgente são alguns dos títulos em destaque.

As Asas do Vento (2013)
Kaze Tachinu
As Asas do Vento conta a história de vida de Jiro, um apaixonado por aviões, que se cruza com a história do Japão, retratando alguns dos seus momentos chave, tais como o grande terramoto de Kanno de 1923, a Grande Depressão, a epidemia de tuberculose e a entrada do Japão na guerra.

Cake - Um Sopro de Vida (2014)
Cake
Claire Simmons (Jennifer Aniston) está a sofrer. A dor física é evidente nas cicatrizes que revestem o seu corpo e na forma como ela se apresenta, estremecendo a cada passo. Claire é igualmente má a esconder a sua dor emocional. Claire já afastou o seu marido, os amigos e até o grupo de apoio à dor crónica, que frequenta, já a expulsou. A única pessoa que subsiste na solitária existência de Claire é a sua empregada, Silvana (Adriana Barraza), que tolera mal a necessidade de álcool e medicamentos da sua chefe. Mas o suicídio de Nina (Anna Kendrick), um dos membros do grupo de dor crónica, despoleta outra obsessão. Na procura de respostas sobre a morte de uma mulher que mal conhecia, Claire explora os limites entre a vida e a morte, abandono e desgosto, perigo e salvação.

Cinderela (2015)
Cinderella
Ella, uma jovem cujo pai comerciante se casa novamente após a trágica morte de sua mãe, acolhe em casa a sua madrasta, Lady Tremaine, e as suas duas filhas, Anastasia e Drisella. Tragicamente o seu pai desaparece e Ella fica entregue à sua nova família, ciumenta e cruel, que a a trata como uma serva. Mas apesar de tudo, Ella está determinada a honrar as últimas palavras de sua mãe, sendo corajosa e gentil... mas eis que um jovem que conhecera na floresta, por quem se apaixonara, é afinal um príncipe e não um funcionário do palácio, como Ella acreditara. A oportunidade de reencontrar a sua alma gémea surge quando se prepara um baile no palácio para o qual são convocadas todas as jovens donzelas, mas a sua madrasta e irmãs de tudo farão para o impedir.

The Gunman - O Atirador (2015)
The Gunman
Jim Terrier (Sean Penn) é um ex-agente governamental cujo passado regressa para o atormentar quando é atraiçoado e se vê no centro de uma conspiração que pretende liquidá-lo. Obrigado a entrar numa luta pela sua sobrevivência, Terrier viaja entre as selvas de África e as ruas de Londres, passando por Barcelona, numa missão cujo único objectivo é parar aqueles que o querem ver morto. Rapidamente descobre que só existe uma maneira de salvar a sua vida: terá de destruir uma das mais poderosas organizações mundiais e derrotar um conhecido do seu passado.

Insurgente (2015)
Insurgent
Na Chicago futurista as facções estão a desmoronar-se. Beatrice Prior tem que arcar com as consequências das suas escolhas. Em Insurgente, a jovem Tris tem que salvar aqueles que ama – e a própria vida – enquanto lida com questões como a mágoa e o perdão, a identidade e a lealdade, a política e o amor.

Os Combatentes (2014)
Les Combattants
Entre os seus amigos e a empresa familiar, o Verão de Arnaud anuncia-se tranquilo, até ao encontro com Madeleine, tão bonita quanto fria, um conjunto de músculos em tensão e de profecias catastróficas. Ele não espera nada, ela prepara-se para o pior. Até onde Arnaud a deve seguir já que ela nada lhe pede?

segunda-feira, 16 de março de 2015

Sugestão da Semana #159

Das estreias da passada Quinta-feira, a Sugestão da Semana destaca Citizenfour, o filme de Laura Poitras sobre Edward Snowden, vencedor do Oscar para Melhor Documentário.

CITIZENFOUR


Ficha Técnica:
Título Original: Citizenfour
Realizadora: Laura Poitras
Género: Documentário
Classificação: M/12
Duração: 114 minutos

Estreias da Semana #159

Na passada Quinta-feira chegaram aos cinemas portugueses nove novos filmes.

Antes de Adormecer (2014)
Before I Go to Sleep
Christine Lucas (Nicole Kidman) acorda todos os dias assustada e confusa. Dorme ao lado de um homem que diz ser seu marido numa casa que ele diz ser deles, mas nada disto lhe é familiar. Christine sofre de amnésia psicogénica, como resultado de um acidente traumático, e não se lembra de nada do seu passado mais recente - do acidente ou de Ben (Colin Firth), que todos os dias tem de se apresentar e lhe explicar a vida que têm em comum.

Ballet 422 (2014)
O documentário acompanha o nascimento de uma nova obra do jovem coreógrafo Justin Peck, Do primeiro ensaio à estreia mundial, nos bastidores do Ballet da cidade Nova Iorque.

Citizenfour (2014)
Em Janeiro de 2013, estava a realizadora Laura Poitras a fazer um filme sobre abusos de segurança nacional no pós-11 de Setembro nos Estados Unidos quando começou a receber emails encriptados de alguém que se identificava como Citizenfour, que estava preparado para denunciar os programas de vigilância massiva dirigidos pela NSA e outras agências secretas. Em Junho de 2013, ela e o repórter Glenn Greenwald voaram para Hong Kong para o primeiro de muitos encontros com o homem que revelou ser Edward Snowden. O filme que resultou desta série de encontros.

Corre, Rapaz, Corre (2014)
Lauf Junge Lauf
Corre, Rapaz, Corre conta a história verídica de Jurek Srulik, um menino polaco de oito anos que foge do gueto de Varsóvia em 1942. Jurek tenta ocultar a sua identidade judaica enquanto procura refúgio seja onde for e junto de quem puder. Uma das suas ligações mais memoráveis é com Magda, uma bela jovem polaca que arrisca a sua vida para ajudar judeus, como Jurek, a passarem por católicos.

Focus (2015)
Will Smith é Nicky, um experiente burlão que se envolve com uma jovem vigarista de nome Jess (Margot Robbie). Reconhecendo o seu talento, Nicky dispõe-se a ensinar Jess os truques do seu negócio, mas quando ela se aproxima demais, ele rompe com ela abruptamente. Três anos depois, Jess – uma bem sucedida femme fatale – surge em Buenos Aires envolvida no mundo das altas apostas de corridas de carros. E agora, a antiga aluna vai envolver-se no mais recente, e muito perigoso, esquema de Nicky, provocar uma reviravolta... e deixar o mestre fora de jogo.

Gett: O Processo de Viviane Amsalem (2014)
Gett
A história da batalha legal de Viviane, que durante cinco anos lutou por obter o seu divórcio junto da única autoridade legal competente para julgar casos de divórcio em Israel, o Tribunal Rabínico. Viviane enfrenta a atitude inflexível do seu marido, que se recusa a dar-lhe o divórcio, apesar de viverem separados já há alguns anos.

O Efeito Lazarus (2015)
The Lazarus Effect
Um grupo de estudantes de uma Universidade de Biologia e Investigação matam, acidentalmente, uma colega de curso e, ao tentarem reanimá-la, desencadeiam uma força do mal. Lutando pelas suas próprias vidas, o grupo deve agora combater essa força mortal dentro do laboratório antes que ela devaste toda a população.

O Segundo Exótico Hotel Marigold (2015)
The Second Best Exotic Marigold Hotel
Sonny está de olho numa promissora propriedade agora que a sua primeira aventura, o exótico Hotel Marigold para pessoas idosas e bonitas, tem apenas um quarto disponível, o que o coloca num dilema visto que estão para chegar mais dois hospedes: Guy e Lavinia. Evelyn e Douglas juntam-se agora à força de trabalho de Jaipur e questionam-se onde os levará os seus encontros regulares para comer panquecas, enquanto Norman e Carol negoceiam as traiçoeiras condições de um relacionamento exclusivo e Madge lida em simultâneo com dois candidatos muito ricos e grandes pretendentes. Talvez o único que saiba a resposta seja a recém instalada co-gerente do hotel, Muriel, a guardiã dos segredos de todos. Enquanto as exigências de um casamento tradicional indiano ameaçam subjugar todos, uma inesperada solução apresenta-se diante deles.

Paddington (2014)
Paddington segue as cómicas desventuras de um jovem urso peruano que viaja até Londres em busca de um lar. Dando por si perdido na Estação de Comboios de Paddington, ele começa a temer que a vida da cidade não seja como ele imaginava - até que conhece a família Brown. Eles lêem o bilhete manuscrito que Paddington traz ao pescoço ("Por favor, tomem conta deste urso. Obrigada.") e oferecem-lhe chá, um nome e um telhado. Parece que a sorte de Paddington mudou, até este urso, o mais raro de todos, chamar a atenção de uma taxidermista de museu que tem umas contas antigas para ajustar.

quinta-feira, 12 de março de 2015

Crítica: Leviatã / Leviathan (2014)

*8.5/10*

Eis o desmoronamento de uma Rússia, sem ética, moral, valores ou justiça. Andrey Zvyagintsev trouxe ao cinema um irónico e provocador retrato de uma sociedade em crise e decadência, onde o poder, a religião, a política e as influências dominam a lei e as decisões.

Kolya é o nosso protagonista, que mora numa pequena cidade à beira do mar de Barents, no norte da Rússia. Tem uma garagem ao lado da casa onde vive com a mulher Lilya e o filho Roma, de um casamento anterior. O Presidente da Câmara da cidade, Vadim Shelevyat, deseja apropriar-se do terreno de Kolya, da sua casa e da sua garagem. Tem projectos para aquela propriedade. Inicialmente tenta comprá-la, mas Kolya não suporta a ideia de perder tudo o que possui e que faz parte da sua vida desde que nasceu. É então que o Presidente da Câmara se torna mais agressivo e o caso vai a tribunal.

A luta de Kolya é uma sátira que entristece e revolta, não fosse o problema mais real do que gostaríamos. Aí está a burocracia que só atrapalha, a incerteza que rodeia os que cumprem a lei, a falta de esperança ou confiança nos que nos rodeiam ou nos que governam... enfim, uma realidade dura e crua, em alguns aspectos semelhante a tantas outras, mas muito russa, nem que seja pelo apelo à história política que encontramos, por exemplo, nas fotografias dos mais famosos políticos do país. E é aí, nessa identificação politico-geográfica, que surge a maior provocação de Leviatã: Putin surge numa moldura na parede do gabinete de um corrupto, algumas personagens resolvem divertir-se com o tiro ao alvo às fotografias de antigos líderes russos ou fala-se em Boris Yeltsin como um bêbedo - de quem os nossos protagonistas parecem seguir as pisadas, com a vodka a comandar.


E num circulo vicioso de ligações de poder e influências que derrotam qualquer um, seguimos esta história, atentamente e sem grandes expectativas de justiça. O desespero e a mentira sobrepõem-se à esperança, nesta Rússia gelada, perdida e solitária. A corrupção e a vodka dominam e aquecem a trama, que se desenrola com a religião a pairar, até mesmo sobre o protagonista, qual Job e as suas provações (cujo livro bíblico muitos têm comparado a Leviatã). A última cena do filme faz um irónico resumo de tudo o que observamos, qual espectador atento mas passivo, ao longo de mais de duas horas.

Além do argumento brilhante de Oleg Negin e Andrey Zvyagintsev, tecnicamente, Leviatã distingue-se pela extraordinária fotografia de Mikhail Krichman, que nos proporciona planos e paisagens inesquecíveis, que acompanham na perfeição a banda sonora intensa de Philip Glass. Por outro lado, Zvyagintsev coloca-nos a assistir a muitas das cenas através de um vidro (seja o vidro que divide duas salas, o vidro de um carro ou de uma janela), num jogo que desafia o espectador, e onde o realizador reforça a nossa posição passiva perante os acontecimentos e, ao mesmo tempo, símbolo dos entraves que se colocam no caminho de Kolya, nesta dura batalha para proteger o que é seu.

Leviatã, com o seu tom pesado mas descomprometido e provocador, é um alerta para o mundo, que não lhe ficou indiferente. Uma provocação, mas, acima de tudo, uma chamada de atenção, para que esta Rússia aqui filmada não perdure, e para que o espectador se indigne e revolte contra o "estado das coisas", e não se contente em ficar sentado a chorar junto ao esqueleto de uma baleia, por muito bela que a imagem seja.