Hoje vi(vi) um filme: Doclisboa'14: Respite, de Harun Farocki

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Doclisboa'14: Respite, de Harun Farocki

*7/10*

Na secção O nosso Século XX - O Cinema face à História do Doclisboa'14, encontramos a curta-metragem de 2007, Respite, de Harun Farocki. O cineasta, recentemente falecido, oferece-nos um documento histórico, a partir de imagens filmadas em Westerbork, um campo de refugiados holandês criado em 1939 para os judeus em fuga da Alemanha. Após a ocupação da Holanda, tornou-se um “campo de trânsito”. Dali os judeus eram enviados para campos de concentração nazis e a grande maioria deles eram executados. Em 1944, o comandante do campo, Albert Gemmeker, encomendou um filme, rodado pelo fotógrafo Rudolph Beslauer, também ele judeu ali prisioneiro, que nunca chegou a ficar completo.


Respite é um filme mudo e começa por mostrar fotos do local na época, seguindo-se as filmagens de Beslauer, em 16mm. As imagens são intercaladas com intertítulos explicativos e um tanto sarcásticos, com uma forte crítica a tudo o que ali se passava e se queria mostrar. As imagens que vemos estão longe da realidade dos campos de concentração. Aqui (assim nos mostram estas imagens) os prisioneiros trabalhavam - como dentistas ou investigadores científicos, por exemplo - divertiam-se, dançavam, jogavam, tocavam instrumentos... Como lemos no filme: "We expect different images from a nazi-german camp". A incredulidade do espectador será a mesma. Mas o certo é que Westerbork era apenas um campo de trânsito. O pior estava para vir e encontrava simbolismo no comboio que partia todas as Terças-feiras.

Respite passa no dia 24 de Outubro, às 19h30, na Culturgest e no dia 25 no Cinema São Jorge, pelas 18h45.

Sem comentários: