Hoje vi(vi) um filme: Judaica – Mostra de Cinema e Cultura em Lisboa de 16 a 20 de Março

quinta-feira, 10 de março de 2016

Judaica – Mostra de Cinema e Cultura em Lisboa de 16 a 20 de Março

A 4ª edição da Judaica – Mostra de Cinema e Cultura regressa a Lisboa de 16 a 20 de Março, no Cinema São Jorge. Mais uma vez, ao cinema junta-se música, literatura e outras actividades para dar a conhecer ao público a cultura judaica. A abrir esta edição estará Uma História de Amor e Trevas, primeira longa-metragem realizada por Natalie Portman.


No dia 16, a sessão de abertura vai contar com a apresentação do livro Os Bebés de Auschwitz – Nascidos para Sobreviver, com a presença da autora Wendy Holden e de Hana Moran, uma das protagonistas da história. O filme de Portman - baseado na autobiografia do escritor israelita Amos Oz - será exibido pelas 21h30.

Em Lisboa, a temática principal recai em ‘a sobrevivência e os refugiados’ e, no total, serão exibidas 12 longas-metragens de ficção, 11 documentários e 4 curtas. 

Entre os títulos em destaque encontram-se Cântico dos Cânticos, baseado na obra de Sholem Aleichem, e Febre ao Amanhecer, que contará com a presença do realizador Péter Gárdos, também por ocasião do lançamento do livro Carta à Mulher do Meu Futuro, no qual narra a inverosímil história de amor dos seus pais, que serve de inspiração para o filme. A não perder será a exibição do nomeado para o Oscar de Melhor Curta-metragem Documental, Claude Lanzmann: Espectros da Shoah

Haverá espaço para uma Sessão Solidária com a exibição do filme Todos os Rostos Têm um Nome, de Magnus Gertten, que traça um paralelismo entre imagens da chegada de refugiados ao porto de Malmö, na Suécia, em 1945, e a situação que se vive actualmente na Europa. As receitas desta sessão reverterão a favor da Plataforma de Apoio aos Refugiados (PAR). Depois do filme, seguir-se-á um debate com o realizador Magnus Gertten, Pedro Calado, Alto-Comissário para as Migrações, e de Rui Marques, coordenador da PAR. A conversa será moderada pela historiadora Irene Pimentel.

Ainda de destacar é a exibição do documentário Filmes Proibidos, de Felix Moeller, sobre os filmes de propaganda nazi, cuja exibição pública continua proibida na Alemanha.O realizador estará presente para responder a perguntas depois da sessão.

A Minha Herança Nazi: O que os Nossos Pais Fizeram, de David Evans, confronta dois filhos de altas figuras do regime nazi com o passado e sentimentos de culpa, raiva, amor e negação. Depois do filme, haverá um debate com Niklas Frank, filho de Hans Frank – Governador-Geral da Polónia ocupada por Hitler – e Philippe Sands, professor de Direito Internacional, cuja família foi vítima dos pais dos protagonistas.


O jornalista Henrique Cymerman também faz parte dos convidados desta edição da judaica e é co-realizador do documentário Jerusalém Oriental / Jerusalém Ocidental, que mostra como a música é capaz de vencer a discórdia entre povos.

Daniel Kahn & The Painted Bird trazem um concerto de música klezmer, desafiando as fronteiras entre o radical e o tradicional e entre o lírico e o político, no dia 19 de Março, às 22h00.

Depois de Lisboa, a Judaica estreia-se em Cascais, de 8 a 10 de Abril, segue depois para Belmonte, entre os dias 14 e 16 de Abril, e chega a Castelo de Vide, entre os dias 5 e 8 de Maio, com palestras sobre tradições judaicas, um colóquio internacional sobre Inquisição, Cripto-Judaismo e Marranismo com convidados de renome, visitas guiadas às Judiarias, degustação de produtos kosher, e mais dois concertos.

Mais informações sobre a Judaica podem ser encontradas em http://www.judaica-cinema.org/

Sem comentários: