Hoje vi(vi) um filme: Crítica: O Cavaleiro das Trevas Renasce (2012)

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Crítica: O Cavaleiro das Trevas Renasce (2012)

"-You don't owe these people any more! You've given them everything!
- Not everything. Not yet. "
Catwoman e Batman 

O Cavaleiro das Trevas Renasce nos cinemas portugueses já esta Quinta-feira, perante o máximo entusiasmo e expectativa de fãs ou meros curiosos por Batman e pela trilogia de Nolan. Marcado, uma vez mais, pela tragédia – o tiroteio de há poucas semanas em Aurora continua a estar bem presente na memória de todos – , depois da morte de Heath Ledger ainda antes da estreia do anterior O Cavaleiro das Trevas, o novo filme de Christopher Nolan parece não estar a ressentir-se nas bilheteiras lá fora.

Desgraças à parte, certo é que Christopher Nolan não deixou que a desilusão fosse sequer uma possibilidade para o espectador, trazendo para o grande ecrã um filme tão bom ou melhor que O Cavaleiro das Trevas. Um elenco de fazer inveja e cenas, como sempre, de cortar a respiração, são alguns dos muitos presentes que este renascer de Batman traz consigo.

O Cavaleiro das Trevas Renasce, a épica conclusão da trilogia do realizador, passa-se oito anos depois da fatídica noite em que Batman desapareceu, passando, nesse momento, de herói a fugitivo. Ao assumir a culpa pela morte de Harvey Dent, o Cavaleiro das Trevas sacrificou tudo o que para ele e para o Comissário Gordon era um bem maior. Mas, por um momento, a mentira funcionou e a actividade criminosa em Gotham City foi destruída graças à lei anti-crime de Dent. Todavia, tudo muda com a chegada de uma gata silenciosa e astuta, com propósitos misteriosos. Muito mais perigoso, no entanto, é o aparecimento de Bane, um terrorista mascarado cujos planos implacáveis para Gotham vão fazer Bruce Wayne sair do seu auto-imposto exílio. Mas mesmo a usar novamente a sua máscara e capa, Batman pode não estar à altura de Bane

Lê a crítica completa no Espalha-Factos: "Tudo por Gotham"

6 comentários:

Sam disse...

A dimensão do filme é, de facto, impressionante. No entanto, julgo que este é o título assinado por Nolan que menos satisfação me proporcionou.

Excelente texto, como sempre :)

Cumps cinéfilos :*

Inês Moreira Santos disse...

Obrigada, Sam.
Acho que haverão opiniões para todos os gostos. :)

Cumprimentos cinéfilos :*

Luis Sá disse...

As expectativas para este “The Dark Knight Rises” sempre foram demasiado elevadas, uma característica com que este realizador nos habituou. Acompanho as suas obras cinematográficas desde que nos brindou com memento, arriscando-me a dizer que este último será provavelmente o pior de Nolan. As falhas são demasiadamente evidentes ao longo do filme onde a composição de Zimmer embora muito marcada (como já tinha acontecido em incepcion) dá algum brilhantismo para o fecho desta trilogia.

Inês Moreira Santos disse...

Olá Luís. Tenho reparado que este filme divide muito opiniões e tenho tido conhecimento de outras opiniões como a sua, que consigo compreender. De facto, Memento é um dos melhores trabalhos de Nolan.

Obrigada pelo comentário.
Cumprimentos cinéfilos.

Jorge Teixeira disse...

De facto, as opiniões têm divergido, sobretudo numa primeira fase, a quando das várias estreias mundiais. Acho que agora começa a ser mais geral, a opinião de que o film é o mais fraco da trilogia ao qual pertence, assim como da carreira (ainda curta) de Nolan. A minha opinião situa-se, e infelizmente, por aí, não sendo um mau filme, fica aquém, muito aquém do que poderia ou se antevia que poderia ser. As falhas no argumento e os vários lugares comuns que o filme recai são por demais evidentes, detratores inclusive de alguma emoção extra que se poderia ter sentido. Mas enfim, não está mau de todo, acima de algumas adaptações recentes de bd's e afins.

Ainda não tinha comentado por cá, mas já seguia o blogue - excelente na dinâmica que possui sendo ele ainda tão recente. Continuações de bom trabalho.

Cumprimentos,
Jorge Teixeira
Caminho Largo

Inês Moreira Santos disse...

Olá Jorge e bem-vindo à minha caixa de comentários. :) Agradeço, desde já, e espero continuar a manter e, principalmente, a melhorar a dinâmica do blog.

É verdade, essa opinião começa a demarcar-se. Eu ainda estou do lado positivo, saí da sala bastante satisfeita, sobretudo com a reviravolta final, mas reconheço, principalmente passado algum tempo da visualização e, por conseguinte, da euforia pós-filme, que há falhas. Actualmente, e apesar de manter o meu "Gosto muito", não lhe daria uma nota tão elevada como quando escrevi a crítica.
Mas Nolan é Nolan, e ele nunca me consegue deixar desiludida. ;)

Cumprimentos cinéfilos.