oportunidades-billboard

terça-feira, 5 de março de 2024

Crítica: American Fiction (2023)

"Potential is what people see when what's in front of them isn't good enough."
Sintara Golden


*6.5/10*

American Fiction marca a estreia de Cord Jefferson na realização, e adapta o livro Erasure, de Percival Everett, uma sátira à hipocrisia da indústria relativamente à literatura afro-americana. Jefferson usa o humor e o drama familiar para construir a história do seu filme, numa abordagem entusiástica e original.

"Um romancista que está farto do establishment valorizar o entretenimento 'negro', cheio de estereótipos ofensivos, usa um pseudónimo para escrever um livro com essas características, que o eleva a um novo patamar de popularidade e o lança no coração da hipocrisia e da loucura que ele diz desdenhar."


Thelonious 'Monk' Ellison não é um homem fácil. Escritor e professor, é convidado a tirar uns dias de férias com a família que não vê há muito, enquanto participa num festival literário na sua cidade natal. Aí, conhece Sintara Golden (Issa Rae), escritora de sucesso de livros sobre os problemas das comunidades afroamericanas, e a sua frustração eleva-se, ao mesmo tempo que se questiona sobre por que motivo os seus livros, relatos de outro tipo de vidas "negras", não são vendidos da mesma forma, nem têm o mesmo destaque nas prateleiras. 

Inesperados problemas familiares parecem aumentar-lhe a revolta e a criatividade e eis que da sua cabeça surge um romance ao estilo dos que tanto critica e que publica sob pseudónimo, sem grandes expectativas e após grande insistência do seu editor. De repente, está ele mesmo envolvido numa teia de intrigas digna de filme. 


American Fiction é bem humorado e mordaz, com o realizador a usar uma espécie de metacinema para cativar a audiência, enquanto também a desafia. Para além do lado provocador, a longa-metragem consegue ter um lado cru e emotivo, advindo das marcas que o passado e o presente têm deixado nas personagens - em especial no protagonista e no seu irmão Cliff, um cirurgião homossexual, viciado em drogas. Jeffrey Wright Sterling K. Brown interpretam estes dois irmãos com carisma e grande entrega emocional.


Ainda que American Fiction caia, por vezes, em alguns dos clichés que satiriza, Cord Jefferson tem uma estreia auspiciosa jogando e explorando o argumento das formas mais diversas para torná-lo sempre mais desafiante.

Sem comentários: